Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Sono melhora com a idade, diz estudo

Pesquisa americana com mais de 150 mil adultos contraria a crença comum de que o sono pioraria com a idade

Por Da Redação 1 mar 2012, 13h18

A dificuldade para dormir pode não estar associada à idade, segundo pesquisa da Universidade de Pensilvânia, nos Estados Unidos, publicada na edição de março da revista Sleep. Na verdade, a qualidade do sono parece melhorar ao longo da vida. Entre os participantes do estudo, os adultos na faixa dos 80 anos foram os que menos se queixaram.

Opinião do especialista

Dalva Poyares
Dalva Poyares VEJA

Dalva Poyares

Neurologista e coordenadora do Instituto do Sono da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)

“Já se sabe que os distúrbios do sono trazem menos consequências diurnas aos idosos do que aos jovens. Por exemplo, um idoso que sofre de insônia reclama menos do que um jovem com o mesmo problema. Isso acontece porque, com o envelhecimento, sofremos uma alteração da regulação do sono e da vigília. Essa alteração faz com que os idosos reclamem menos, porque as consequências dos distúrbios durante o dia são menores do que nos jovens.

Continua após a publicidade

Não significa que os idosos não possuem problemas em dormir, eles possuem, mas sentem menos. E como a pesquisa contou com entrevistas, ou seja, atingiu a percepção subjetiva do indivíduo, os resultados mostraram o que os participantes sentem, e não o que sofrem de verdade. Mas o estudo é importante, pois faz com que os médicos se atentem aos problemas de sono dos adultos mais velhos. Não é porque eles não reclamam que não sofrem.”

Em pesquisa telefônica aleatória, 155.877 adultos de diversos estados dos EUA foram questionados sobre distúrbios do sono e cansaço diurno. Foram relatados ainda outros fatores, como tipo de pele, renda, educação, humor, saúde e data do último exame médico. Todos os dados foram analisados posteriormente pelos pesquisadores.

Problemas de saúde e depressão foram claramente associados ao sono ruim, e as mulheres de todas as idades relataram mais distúrbios do sono e cansaço do que os homens. Foi observado ainda um pequeno aumento de problemas em dormir durante a meia idade – mais por parte das mulheres do que pelos homens. Mas exceto isso, a qualidade do sono melhorou consistentemente ao longo da vida. Ou pelo menos foi assim que as pessoas relataram.

O maior número de reclamações veio por parte de jovens entre 18 e 24 anos. Cerca de 25% das mulheres e 18% dos homens dessa faixa etária afirmaram ter problemas para dormir. Já os entrevistados mais idosos �- mulheres com mais de 80 anos e homens entre 70 e 74 anos – foram os que apresentaram menos queixas. Nessa faixa etária, 17% das mulheres e 15% dos homens reclamaram de algum distúrbio do sono.

Segundo Michael Grandner, coordenador da pesquisa, o objetivo inicial do estudo era confirmar, entrevistando um número grande de pessoas, que os problemas do sono estão associados à idade. Mas os resultados derrubaram a teoria e comprovaram que a dificuldade em dormir é menos percebida em adultos mais velhos. “Isso é uma resposta à prática clínica de ignorar as queixas de sono dos idosos, considerando ser parte normal do envelhecimento”, diz Grandner.

Continua após a publicidade
Publicidade