Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Revalida será aplicado este ano para alunos de medicina do Brasil

Inep pretende verificar se a prova está de acordo com as diretrizes do currículo dos cursos no país

O Ministério da Educação (MEC) vai aplicar já neste ano o Exame Nacional de Diplomas Médicos (Revalida) para os estudantes dos cursos de medicina do Brasil. A informação foi confirmada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo exame, nesta sexta-feira. A prova – obrigatória para os médicos formados no exterior que querem atuar no país – será aplicada como um pré-teste para alunos do sexto ano. A ideia é verificar se o exame está de acordo com a matriz curricular das faculdades brasileiras.

Criado em 2011, o Revalida teve índices de 90% e 91% de reprovação nos dois últimos anos. Segundo o Inep, a medida não tem o objetivo de avaliar a qualidade dos futuros profissionais brasileiros e não serão divulgadas as notas da avaliação. O instituto ainda informou que a realização da prova pelos alunos do Brasil será voluntária e que um edital vai ser lançado na próxima semana. Ainda não há informações sobre quantos alunos (e de quais universidades) serão chamados para fazer o teste.

Leia também:

Revalidação do diploma de médicos formados no exterior será modificada

Governo quer desfigurar o Revalida. Melhor seria ampliá-lo

A novidade foi divulgada quatro dias depois de o governo federal anunciar o Programa Mais Médicos, com uma série de medidas para atender a demanda por profissionais da área no Sistema Único de Saúde (SUS). Entre elas, a decisão de aumentar de seis para oito anos o tempo de duração dos cursos de medicina no Brasil e a importação de médicos estrangeiros para atuação em cidades do interior e da periferia, possivelmente sem a exigência de revalidação dos diplomas.

Candidatos – Principais alvos do governo, os médicos formados em Portugal e Espanha têm bom desempenho no Revalida. Na prova de 2012, 37% dos diplomas portugueses obtiveram a revalidação – o país é o primeiro no ranking de aprovações. Em seguida, conseguiram mais aprovações os formados na Venezuela (26%), Argentina (20%) e Espanha (19%).

Em relação à nacionalidade dos candidatos, os venezuelanos, cubanos e argentinos têm as melhores classificações, com 27%, 25% e 20%, respectivamente, de aprovação em 2012, respectivamente. Os médicos brasileiros formados no exterior ficaram em 6º lugar, com apenas 42 dos 560 inscritos aprovados no Revalida no último ano – um índice de 7%.

Revalida – O Revalida é anual e composto por duas etapas, ambas eliminatórias. Primeiro o candidato é submetido a uma prova teórica e, posteriormente, a uma avaliação prática das habilidades clínicas do profissional. Os candidatos reprovados podem se inscrever nos anos seguintes, sem número limite de tentativas.

De acordo com informações do Inep, os exames são orientados por uma matriz de correspondência curricular, que estabelece a avaliação de cinco grandes áreas da atividade médica: cirurgia, medicina da família e comunidade, pediatria, ginecologia-obstetrícia e clínica médica.

(Com Estadão Conteúdo)