Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Remédio para colesterol aumenta risco de diabetes

Benefícios da estatina para coração, porém, são mais relevantes do que riscos

Por Da Redação - 22 jun 2011, 11h34

Pacientes que ingerem altas doses de estatina no combate ao colesterol alto têm mais chances de desenvolver diabetes do que aqueles que tomam doses padrão do medicamento. É o que sugere um estudo britânico publicado no Journal of American Medical Association. Ainda assim, os benefícios do remédio para o coração compensam os riscos, segundo a pesquisa.

A estatina é um dos remédios mais vendidos no mundo e age no organismo reduzindo os níveis de LDL, conhecido como “colesterol ruim”. Estudos anteriores já haviam apontado que a droga é eficiente na redução dos riscos de ataques cardíacos e de derrames.

Os pesquisadores das Universidades de Londres e de Glasgow analisaram dados de cinco diferentes estudos. Ao todo, compilaram os resultados de 32.752 pacientes que fizeram tratamento com doses altas e moderadas de estatina durante cinco anos. Nesse período, 2.749 voluntários (8,4%) desenvolveram diabetes e 6.684 (20%) tiveram sérios problemas cardíacos.

Segundo Kausik Ray, um dos responsáveis pela pesquisa, para cada 498 pacientes tratados com a estatina, havia um caso de diabetes. Mas, ainda assim, a dosagem alta do remédio reduzia os riscos de ataques cardíacos, derrames e em 16% a necessidade de uma angioplastia. Isso significa que para cada 155 pessoas tratadas, um desses problemas cardíacos conseguiu ser evitado.

Publicidade

Para Peter Weissberg, da Fundação Britânica do Coração e membro da equipe de pesquisadores, não é preciso que os pacientes parem de tomar a medicação, mesmo quando prescrita em altas dosagens. “A estatina tem um papel vital na proteção do coração de muitas pessoas. Os seus benefícios são muito mais significativos do que qualquer risco associado ao diabetes”, diz.

Clique nas perguntas abaixo para saber mais sobre o diabetes:

  • Perguntas gerais
  • Causas
  • Prevenção e tratamento

Dra. Christiane Sobral é coordenadora do Centro de Diabetes do Hospital Sírio-Libanês Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo

O que é diabetes?

Publicidade

Qual a diferença entre diabetes tipo 1 e 2?

Quais são os principais sintomas do diabetes?

  • O que é diabetes?
  • Qual a diferença entre diabetes tipo 1 e 2?
  • Quais são os principais sintomas do diabetes?

Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo

Quais são os principais fatores de risco para o diabetes?

Publicidade

Quem tem hipoglicemia na juventude tem mais chances de desenvolver diabetes?

É possível desenvolver a doença por causa de maus hábitos alimentares?

Por que o diabetes está atingindo tanto os jovens?

Quem é obeso vai obrigatoriamente desenvolver diabetes?

Publicidade
  • Quais são os principais fatores de risco para o diabetes?
  • Quem tem hipoglicemia na juventude tem mais chances de desenvolver diabetes?
  • É possível desenvolver a doença por causa de maus hábitos alimentares?
  • Por que o diabetes está atingindo tanto os jovens?
  • Quem é obeso vai obrigatoriamente desenvolver diabetes?

Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo

Como diagnosticar o diabetes ainda no início?

Como se prevenir do diabetes?

Quais são as consequências do diabetes não-tratado?

Publicidade

Quais são os tratamentos para o diabetes?

Quais os cuidados que os diabéticos devem ter com a alimentação?

O diabético deve evitar comer frutas doces, como manga, banana, etc?

Qual a importância da atividade física para quem tem diabetes?

Publicidade

Existe cura para o diabetes?

  • Como diagnosticar o diabetes ainda no início
  • Como se prevenir do diabetes?
  • Quais são as consequências do diabetes não-tratado?
  • Quais são os tratamentos para o diabetes?
  • Quais os cuidados que os diabéticos devem ter com a alimentação?
  • O diabético deve evitar comer frutas doces, como manga, banana, etc?
  • Qual a importância da atividade física para quem tem diabetes?
  • Existe cura para o diabetes?

*O conteúdo destes vídeos é um serviço de informação e não pode substituir uma consulta médica. Em caso de problemas de saúde, procure um médico.

(Com agência Reuters)

Publicidade