Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Remédio para artrite reduz em até 38% mortes por Covid em doentes graves

Droga já é utilizada nos Estados Unidos de forma emergencial em pacientes que necessitam de oxigênio

Por Simone Blanes Atualizado em 11 ago 2021, 16h25 - Publicado em 10 ago 2021, 11h44

Um estudo preliminar indica que o anti-inflamatório baricitinibe, usado no Brasil para o tratamento de artrite reumatoide, pode reduzir em até 38% a mortalidade de doentes graves de Covid-19. Com o intuito de avaliar se o medicamento controlaria a reação inflamatória exacerbada causada pelo vírus Sars-CoV-2, a pesquisa foi realizada com mais de 1.500 voluntários em 12 diferentes centros clínicos brasileiros. Os resultados foram verificados por meio de uma análise parcial apresentados por quem recebeu a droga e por aqueles que receberam placebo. Responsável pela pesquisa, o infectologista Adilson Cavalcanti, do Hospital Anchieta, de São Bernardo do Campo, em São Paulo, vinculado à Universidade Federal do ABC (UFABC), explicou que o baricitinibe só poderá ser usado em pacientes internados  e que estejam necessitando de oxigênio.

LEIA TAMBÉM: As 10 práticas essenciais para combater a pandemia de Covid-19

A pesquisa tem o patrocínio da multinacional Eli Lilly, fabricante do medicamento, que pediu à Anvisa a liberação do uso permanente para casos graves de Covid-19. A investigação também teve colaboração internacional. “Apesar de a redução da progressão da doença não ter alcançado uma estatística significativa, o tratamento com o baricitinibe em conjunto com a terapia padrão reduziu significativamente a mortalidade”, divulgaram os autores da investigação, comandada pela Universidade Emory, de Atlanta, nos Estados Unidos, onde o anti-inflamatório já tem aprovação provisória da FDA (Food and Drug Administration) para uso emergencial contra o vírus Sars-CoV-2.

 

Continua após a publicidade

Publicidade