Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Reino Unido vai vacinar crianças com mais de 12 anos contra a Covid-19

A vacinação deve começar na próxima semana, com campanha nas escolas e exigência de consentimento dos pais

Por Simone Blanes 14 set 2021, 16h41

Crianças e adolescentes de 12 ou mais começarão a ser vacinadas contra a Covid-19 a partir da próxima semana no Reino Unido. Segundo anúncio do governo britânico feito nesta segunda-feira, 13, a resolução segue uma recomendação de um corpo diretivo de médicos da Inglaterra, Gales, Escócia e Irlanda do Norte, aprovada na noite de domingo, 12. Em junho, a Medicines and Healthcare products Regulatory Agency (MHRA) – agência reguladora de medicamentos e produtos para a saúde do Reino Unido – autorizou a aplicação das vacinas da Pfizer em crianças e adolescentes de 12 a 15 anos.

A campanha de vacinação terá início nas escolas e exigirá o consentimento de pais e responsáveis. O Comitê Conjunto de Vacinação e Imunização (JCVI), porém, orienta que as crianças saudáveis não recebam a vacina por enquanto. O Comitê recomenda a imunização apenas em jovens maiores de 16 anos, com comorbidades.

Mesmo com essa orientação do Comitê, especialistas em saúde pública já haviam informado que seria muito provável que o governo começasse a vacinar crianças por conta da transmissão a pessoas com risco e pela volta às aulas. A Sociedade Real de Pediatria e Saúde Infantil também deu seu aval, apontando a necessidade da sociabilização das crianças e os benefícios à saúde proporcionados pela vacina contra a Covid-19 e por todos os outros imunizantes. Opinião também compartilhada pelo Colégio Real de Pediatria e Saúde Infantil (RCPCH), que consultado pelos diretores médicos dos quatro países, endossou a apreensão dos reflexos da pandemia sobre crianças e adolescentes, como a preocupação com a saúde mental e a defasagem de aprendizado escolar causado pelas faltas dos alunos. Segundo a entidade, a participação em atividades dentro e fora da escola é fundamental para o desenvolvimento, a resiliência, a saúde mental e o bem-estar das crianças. “Precisamos garantir que essa participação volte ao normal com urgência.”, defendeu o Colégio Real de Pediatria.

Em outros países, crianças já começaram a ser imunizadas. No Brasil, a cidade de São Paulo começou a vacinar jovens de 12 a 16 anos, sem comorbidades, na última segunda-feira, 6, com vacinas da Pfizer. Na Espanha, adolescentes de 12 a 17 anos também receberam a primeira dose do mesmo imunizante no começo de setembro. O Chile já avançou com mais de 650 mil crianças maiores de 12 anos recebendo a primeira dose e autorizou a vacinação para as crianças maiores de 6 anos.

Continua após a publicidade
Publicidade