Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Reforço deve ser feito com vacina da Pfizer, recomenda Ministério da Saúde

Em nota técnica, a pasta argumenta que o imunizante produz respostas imunológicas mais robustas do que os demais

Por Cilene Pereira Atualizado em 18 nov 2021, 14h39 - Publicado em 18 nov 2021, 14h30

A dose de reforço em todos os adultos a partir de 18 anos deve ser, preferencialmente, da vacina da Pfizer. Esta é a recomendação da nota técnica publicada pelo Ministério da Saúde orientando como devem ser os procedimentos para a nova etapa de imunização. O reforço será dado a quem tomou a segunda dose dos imunizantes da Pfizer, da AstraZeneca ou de CoronaVac há pelo menos cinco meses.

O Ministério argumenta que a escolha pelo produto da Pfizer se deve ao fato de ter sido desenvolvido com tecnologia de RNA mensageiro, método que, segundo a pasta, produz respostas imunológicas mais robustas.

As vacinas da AstraZeneca e da Janssen devem ser consideradas como opção no caso de falta do imunizante da Pfizer. Por enquanto, não há resposta sobre a utilização da CoronaVac como reforço.

Publicidade