Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Qual é o melhor método de escovar os dentes? Nem os dentistas sabem, diz estudo

Após analisar recomendações odontológicas de dez países, incluindo o Brasil, pesquisadores concluíram que informações são divergentes

Por Da Redação 8 ago 2014, 16h26

Qual é o método correto de escovar os dentes, com que frequência é necessário higienizar a boca e quanto tempo deve demorar cada escovação? Os dentistas ainda não entraram em acordo sobre as recomendações aos pacientes, revelou um estudo publicado nesta sexta-feira no periódico British Dental Journal.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: An analysis of methods of toothbrushing recommended by dental associations, toothpaste and toothbrush companies and in dental texts​

Onde foi divulgada: periódico British Dental Journal

Quem fez: J. Wainwright e A. Sheiham.

Instituição: Universidade College London, na Inglaterra

Resultado: Revisão de recomendações de associações odontológicas, livros e fabricantes de pasta e escova de dente mostrou que não há consenso sobre a melhor forma de escovar os dentes.

Continua após a publicidade

Cientistas da Universidade College London, na Inglaterra, compararam as recomendações de higiene bucal feitas por associações odontológicas, livros e fabricantes de pastas e escovas de dente de dez países: Austrália, Brasil, Canadá, Dinamarca, Finlândia, Japão, Noruega, Suécia, Inglaterra e Estados Unidos. Eles constataram que não há consenso entre as várias fontes do estudo.

“As pessoas precisam de uma informação concreta sobre qual é o melhor método de escovação. Se elas ouvem uma coisa da associação de odontologia, outra do fabricante de escovas de dente e mais uma do seu dentista, ficarão confusas sobre como escovar os dentes”, diz o líder do estudo, Aubrey Sheiham, professor da Universidade College London.

Leia também:

Tratamento contra boca seca evita perda dos dentes

​Médicos extraem 232 dentes de menino indiano

Técnica – De acordo com Sheiham, não há evidência de que as técnicas complicadas são melhores do que qualquer simples escovação. O método mais comum é fazer um suave e curto vai-e-vem horizontal da escova nos dentes, em um ângulo de 45 graus. Dessa maneira, partículas de comida, placas e bactérias se desprendem da gengiva. Para evitar uma escovação muito forte, Sheiham sugere segurar a escova como um pincel.

Segundo o estudo, as diferentes mensagens emitidas por profissionais e fabricantes indica que são necessários mais estudos sobre a eficácia de cada método. “A variedade de recomendações que encontramos provavelmente se deve à falta de fortes evidências de que uma técnica é melhor do que a outra”, explica o autor.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)