Clique e assine a partir de 9,90/mês

Pressão alta está associada a problemas cognitivos no futuro

A partir de informações coletadas pelo Estudo do Coração de Framingham, pesquisadores concluíram que quem sofre de hipertensão na meia-idade tem mais propensão a ter declínio cognitivo na velhice

Por Da Redação - 17 jul 2015, 16h30

Ter hipertensão durante a meia-idade pode resultar em problemas cognitivos décadas depois, ao atingir os 80 anos. Esses resultados fazem parte de um estudo publicado recentemente na revista científica Journal of Alzhmeir´s Disease e realizado por pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Boston, nos Estados Unidos.

O levantamento foi conduzido a partir de informações coletadas para o Estudo do Coração de Framingham, que surgiu em 1948 com 5200 adultos. Os pesquisadores mediram a pressão arterial de 378 participantes do estudo quando eles tinham entre 50 e 60 anos de idade. Trinta anos depois, quando os voluntários já haviam ultrapassado os 80 anos, foi solicitado que eles realizassem testes para medir o desempenho cognitivo.

LEIA TAMBÉM:

Insuficiência cardíaca mata 50 mil pessoas por ano

Continua após a publicidade

Poligamia faz mal à saúde do coração, diz estudo

Os participantes que tiveram hipertensão durante a meia-idade obtiveram piores resultados nos testes que avaliaram a atenção e as funções executivas. “O declínio cognitivo é considerado uma consequência inevitável do envelhecimento e o avançar dos anos continua sendo o principal fator de risco para o desenvolvimento da demência”, afirmou Rhoda Au, autora do estudo. “Mas o controle dos fatores que impactam no envelhecimento cerebral, como a pressão arterial, poderá melhorar a saúde do cérebro e diminuir esse risco”, completou.

(Da redação)

Publicidade