Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Por que algumas pessoas têm um ‘furinho’ na orelha?

O buraquinho no topo da cartilagem é uma desordem congênita, chamada seio pré-auricular, e não traz problema. A não ser que algo estranho entre ali

Por Da redação 22 nov 2016, 15h11

Você já reparou que algumas pessoas têm um buraquinho pequeno no topo da cartilagem da orelha, bem na “junção” entre as orelhas e rosto? Não, isso não é um resquício de um piercing, nem um furo feito de forma proposital ou acidentalmente. Na verdade, a condição é uma desordem congênita chamada seio pré-auricular. Em geral, é completamente inofensiva, mas pode acabar infeccionando se alguma coisa estranha entrar ali.

Estima-se que a desordem afete apenas 0,1% da população dos Estados Unidos, 0,9% no Reino Unido, de 4% a 10% na África e Ásia e entre os habitantes da Coreia do Sul ultrapassa os 5%.

  • Vestígio evolutivo

    Como essa estrutura é encontrada em todos os seres vertebrados durante o desenvolvimento embrionário, alguns cientistas acreditam que esse é um resíduo evolutivo.  Nos mamíferos, por exemplo, elas formam as estruturas da cabeça e pescoço, e nos peixes elas são responsáveis pelas guelras.

    O biólogo Neil Shubin, em entrevista ao site britânico Business Insider, disse suspeitar que os furinhos podem ser “sobras remanescentes das brânquias dos peixes”. No entanto, isso é uma hipótese que ainda não foi cientificamente comprovada. Mas, se pararmos para pensar que ainda temos “ossos do rabo” (cóccix) e apêndices dos nossos antepassados, certamente essa teoria é plausível.

    Continua após a publicidade
    Publicidade