Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Pessoas narcisistas têm risco menor de depressão, revela estudo

Estudo mostra que o excesso de autoconfiança do narcisista ajuda a evitar que ele seja afetado por situações negativas

Uma pesquisa publicada na revista PLOS One descobriu que os millennials enxergam a própria geração como a mais narcisista.  Estudo anterior, publicado no Journal of Personality, descobriu que as pessoas jovens em 2008 anos eram 30% mais narcisistas em relação àqueles na mesma faixa etária da década de 1980.

Ter uma personalidade narcisista é visto como um defeito já que pessoas narcisistas tendem a ser extremamente desagradáveis e sem qualquer empatia. Elas também acreditam ter um tipo de superioridade – mesmo que não o seja – e querem ser reconhecidas por sua “grandiosidade” – que, às vezes, só é vista por si mesmas. Pois uma nova pesquisa indica que ser narcisista não é de todo ruim.

Pesquisadores irlandeses descobriram que o narcisismo pode ser um fator de proteção contra stress e depressão. “Nosso trabalho sugere que alguns aspectos do narcisismo podem ajudar os indivíduos a mostrar resiliência contra certos tipos de psicopatologia, como depressão e stress”, explicou Kostas Papageorgiou, principal autor da pesquisa, à CNN. A equipe acredita que esse efeito é resultado da forte autoconfiança que essas pessoas têm.  

O estudo, publicado na revista Personality and Individual Differences, mostra que essa proteção é maior para aqueles diagnosticados com narcisismo grandioso, caracterizado pela ideia de superioridade, pretensão e esnobismo. Esse efeito não é o mesmo para aqueles que sofrem de narcisismo vulnerável (quando o indivíduo ​​tende a ser mais defensivo e encara o comportamento alheio como uma ameaça).  

Especialistas ressaltam que todas as pessoas apresentam um certo grau de narcisismo que é considerado “normal”, enquanto apenas 1% da população chega a desenvolver o transtorno de personalidade narcisista. 

Veja também

O estudo

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores da Queen’s University Belfast, na Irlanda do Norte, realizaram três estudos avaliando 700 participantes que responderam a questionários sobre narcisismo, resistência mental, sintomas de depressão e stress percebido.

Os resultados mostraram que, embora o narcisista seja uma pessoa socialmente nociva, com pouca ou nenhuma preocupação com os sentimentos alheios, ele está imune a sentimentos negativos sobre si mesmo e sente menos stress já que tem autoconfiança excessiva. Esses fatores – muitas vezes negativos para quem convive com um narcisista – é o que confere essa proteção mental. 

Apesar disso, especialistas indicam que eles também podem ficar estressados ou deprimidos quando não são tratados da maneira que acreditam merecer. Além disso, podem ser tornar impacientes e agressivos quando não têm sua suposta grandiosidade reconhecida.

Melhor desempenho

Pesquisa anterior realizada pela mesma universidade ainda revelou que os narcisistas estão mais propensos a ser bem-sucedidos no trabalho e na vida social já que apresentam uma “resistência mental” que auxilia na superação de rejeições e/ou decepções. 

Com base nas novas descobertas, os cientistas acreditam que os traços sombrios não devem ser classificados como bons ou ruins, mas como “produto da evolução e expressões da natureza humana que podem ser benéficas ou prejudiciais, dependendo do contexto”, disse Papageorgiou. 

Narcisismo

O narcisismo é um transtorno mental que faz parte do grupo de traços mais sombrios da personalidade, ao lado do maquiavelismo, psicopatia e sadismo.

Segundo especialistas há dois tipos de narcisismo: o grandioso, no qual as pessoas têm um senso de importância exagerado e são excessivamente preocupadas com status e poder; e o vulnerável, grupo que enxerga o comportamento dos outros como “hostil” e, portanto, ficam constantemente na defensiva.