Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Pesquisadores identificam 14 variações genéticas ligadas à osteoporose

Maior estudo já feito sobre o assuntou mostrou que mulheres com mais variações podem ter 50% mais riscos de sofrer uma fratura

Um novo estudo identificou 14 variações genéticas associadas a um maior risco de osteoporose. De acordo com a pesquisa, que foi publicada neste mês na revista Nature Genetics, as mulheres que apresentam a maior proporção dessas variações chegam a ter 50% mais chances de sofrerem uma fratura. O trabalho foi desenvolvido por um consórcio internacional de pesquisadores da Universidade de Gotemburgo, na Suécia, do centro médico universitário Erasmus de Rotterdam, na Holanda, entre outras instituições.

Esse é o maior estudo já feito sobre genética e risco de osteoporose. Os pesquisadores analisaram 80.000 pessoas, sendo que aproximadamente 30.000 haviam relatado algum caso de fratura. Eles identificaram 56 genes que são responsáveis por controlarem a densidade óssea nos seres humanos e descobriram, entre eles, 14 variações associadas ao aumento de risco de fraturas. Segundo os cientistas, as mulheres que têm um maior número de variações relacionadas à osteoporose podem chegar a apresentar 56% mais chances de ter o problema do que aquelas que não têm variação alguma.

De acordo com os especialistas, essa é a primeira vez em que variantes genéticas são fortemente associadas a um maior risco de fraturas. Para eles, esses resultados os levaram a uma série de novas descobertas na área de biologia óssea que podem ajudar no desenvolvimento de novos tratamentos para a osteoporose. “Nós estamos diante de informações completamente novas no campo da investigação do osso”, diz uma das autoras do estudo, Ulrika Pettersson.

  • Causas e sintomas
  • Prevenção e tratamento

Dr. Marcelo de Medeiros Pinheiro chefe do ambulatório de osteoporose da Unifesp e reumatologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo

O que acontece em nosso corpo quando temos osteoporose?

Quais são as causas da doença?

Quais são os sintomas e como identificá-los?

Como diferenciar os sintomas de osteoporose daqueles do reumatismo?

Osteoporose só atinge pessoas idosas ou pode afetar jovens também? Por quê?

Por que ela atinge mais mulheres do que homens?

A tendência a ter osteoporose pode mudar conforme a cor da pele?

Remédios também podem ser uma das causas da osteoporose?

Quais doenças estão associadas à osteoporose?

  • O que acontece em nosso corpo quando temos osteoporose?
  • Quais são as causas da doença?
  • Quais são os sintomas e como identificá-los?
  • Como diferenciar os sintomas de osteoporose daqueles do reumatismo?
  • Osteoporose só atinge pessoas idosas ou pode afetar jovens também? Por quê?
  • Por que ela atinge mais mulheres do que homens?
  • A tendência a ter osteoporose pode mudar conforme a cor da pele?
  • Remédios também podem ser uma das causas da osteoporose?
  • Quais doenças estão associadas à osteoporose?

Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo Vídeo

Qual o melhor tratamento?

Os tratamentos têm efeitos colaterais?

Qual a importância do cálcio na prevenção da osteoporose?

Quem tem cálculo renal pode consumir cálcio?

Existe alguma outra prevenção além da ingestão de cálcio na dieta?

É recomendável se tomar complementos alimentares ou cápsulas à base de cálcio?

Que tipo de exercício físico é melhor: de baixa ou alta intensidade?

Existe cura?

  • Qual o melhor tratamento?
  • Os tratamentos têm efeitos colaterais?
  • Qual a importância do cálcio na prevenção da osteoporose?
  • Quem tem cálculo renal pode consumir cálcio?
  • Existe alguma outra prevenção além da ingestão de cálcio na dieta?
  • É recomendável se tomar complementos alimentares ou cápsulas à base de cálcio?
  • Que tipo de exercício físico é melhor: de baixa ou alta intensidade?
  • Existe cura?

*O conteúdo destes vídeos é um serviço de informação e não pode substituir uma consulta médica. Em caso de problemas de saúde, procure um médico.