Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Pesquisa identifica possível origem do câncer de mama

Células das mamas que possuem uma anomalia nos cromossomos são mais propensas a apresentar problemas de divisão e, assim, provocar a doença

Uma nova pesquisa conseguiu identificar a provável origem do câncer de mama. O estudo, publicado nesta terça-feira na edição inaugural do periódico Stem Cell Reports, investigou amostras de tecido mamário de mulheres saudáveis para identificar quais seriam as células mais propensas a originar o câncer de mama. Eles descobriram, então, que uma classe específica de células normais que dão origem ao tecido mamário tem estruturas menores do que as normais. Em função dessa diferença estrutural, essas células estariam mais propensas a mutações que dão origem ao câncer de mama. Os resultados do estudo poderão ajudar na identificação de pacientes com risco elevado de desenvolver esse tipo de câncer, além de estratégias para o tratamento e prevenção da doença.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: The Luminal Progenitor Compartment of the Normal Human Mammary Gland Constitutes a Unique Site of Telomere Dysfunction

Onde foi divulgada: periódico Stem Cell Reports

Quem fez: Nagarajan Kannan, Nazmul Huda, LiRen Tu, Radina Droumeva, Geraldine Aubert, Elizabeth Chavez, Ryan R. Brinkman, Peter Lansdorp, Joanne Emerman, Satoshi Abe, Connie Eaves e David Gilley

Instituição: Universidade de Indiana, EUA, e outras

Dados de amostragem: Tecido mamário normal doado por 37 mulheres que realizaram cirurgia de redução de mamas para fins estéticos

Resultado: Os pesquisadores descobriram que as células precursoras luminais são mais propensas a apresentarem falhas na divisão, porque seus telômeros (estruturas que formam as extremidades dos cromossomos) são mais curtos. Esses problemas na divisão celular podem causar o câncer de mama

O estudo, realizado em conjunto por instituições de pesquisa do Canadá, Estados Unidos e Países Baixos, foi realizado com tecido mamário normal doado por 37 mulheres que realizaram cirurgia de redução de mamas para fins estéticos.

Resultados – No estudo, descobriu-se que as células precursoras luminais (que dão origem ao tecido mamário) apresentam telômeros (as extremidades dos cromossomos) muito curtos. Como a função dos telômeros é evitar problemas com o material genético durante a divisão celular, essas células são mais propensas a ter mutações durante o processo de divisão. Essas mutações seriam as responsáveis pelo desenvolvimento do câncer.

“Esse é o primeiro relato de um tipo de célula precursora humana, considerada normal, que apresenta essa disfunção nos telômeros”, afirma Connie Eaves, pesquisadora do laboratório Terry Fox, no Canadá, e uma das autoras do estudo.

A pesquisa ressalta a importância de estudar tecidos humanos saudáveis como uma forma de identificar a origem celular do câncer e os fatores que contribuem para seu desenvolvimento. David Gilley, pesquisador da Universidade de Indiana, nos Estados Unidos, e coautor do estudo, acredita que um próximo passo seja verificar se essa descoberta se aplica apenas ao câncer de mama, ou se trata de um fenômeno geral.

Opinião do especialista

Rafael Malagoli RochaPesquisador de oncologia do Hospital A.C. Carmargo.

“Diversos estudos têm mostrado que os telômeros são importantes para o aparecimento de tumores. Ainda não se conhece totalmente sua função, mas se sabe que eles evitam que os cromossomos se fundam, causando alterações na sequência genética que podem causar tumores.

“O estudo é interessante, em primeiro lugar, porque foi realizado com células normais, sem o aparecimento de tumores. Os pesquisadores colheram diferentes tipos de células da glândula mamária e analisaram seus telômeros separadamente. Eles conseguiram ver que as células precursoras luminais apresentam telômeros encurtados, o que pode estar relacionado ao aparecimento do câncer, principalmente porque o envelhecimento tende a fazer com que os telômeros encurtem ainda mais.

“As células precursoras luminais se localizam no interior do ducto mamário (por onde passa o leite durante a amamentação) e são onde se originam 80% dos cânceres de mama.

“No campo da prevenção ainda está claro o que pode ser feito a partir dos resultados desse estudo, uma vez que até o momento não é possível realizar intervenções nos telômeros. Porém, se for identificado o que a alteração dos telômeros provoca nas células, pode ser possível desenvolver medicamentos que façam essas alterações regredirem e, assim, impedir a proliferação do tumor.

“Vale lembrar que o encurtamento dos telômeros é apenas uma das possíveis causas do câncer de mama. Existem ainda os fatores ambientais, como tabagismo e alcoolismo, e predisposições genéticas que facilitam o aparecimento desse tumor.”

Leia também:

Retirar as mamas não é a única alternativa para casos como o de Angelina Jolie

Medicamento contra câncer de mama avançado é aprovado no Brasil

*O conteúdo deste vídeo é um serviço de informação e não pode substituir uma consulta médica. Em caso de problemas de saúde, procure um médico.