Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Apesar das praias cheias no fim do ano, Brasil tem isolamento acima de 50%

Médias chegaram a 52,3% nos dias 27 de dezembro e 3 de janeiro, melhor índice desde maio

Por Mariana Rosário Atualizado em 6 jan 2021, 19h51 - Publicado em 5 jan 2021, 18h11

Apesar das imagens de praias cheias em boa parte do litoral brasileiro e dos festejos de Natal e Ano-Novo que apareceram nas redes sociais, a estatística revela um outro dado sobre o final de ano no país: pela primeira vez desde maio, o isolamento social no Brasil ultrapassou 50%. O recorde de pessoas em casa ocorreu ao longo dos dias 27 de dezembro de 2020 e 3 de janeiro — os dois domingos após os feriados de Natal e Ano-Novo. Nas duas datas, o índice de isolamento foi de 52,3%.

Nos feriados, o índice também foi acima da média dos últimos meses. No dia 25 de dezembro de 1º de janeiro, o índice foi de 49,5%. Para se ter uma ideia, o índice mais alto antes desses feriados foi em 28 de junho. Na última segunda-feira, a média de isolamento foi de 38,7%, ligeramente superior ao normal para dias úteis.

Esses dados são coletados pela consultoria InLoco, que leva em conta dados de 60 milhões de telefones celulares em todo o território brasileiro.

São Paulo

O estado de São Paulo decretou fechamento de todos os serviços não-essenciais de 25 a 27 de dezembro e de 1º a 3 de janeiro, na chamada fase vermelha do Plano São Paulo, que orienta a quarentena em toda a região. De acordo com dados do governo do estado, houve uma ligeira alta em relação aos finais de semana anteriores. Tradicionalmente os finais de semana registram médias de 45% a 46% de isolamento. Com a quarentena mais restritiva, o índice teve 49% de pessoas em quarentena no dia 27 de dezembro (a maior média no grupo de três dias) e 50% em 3 de janeiro (a maior média no grupo de três dias).

Nesta terça-feira, 5, o Brasil teve médias moveis em 35.264,1 casos confirmados e 721,6 mortes.

Continua após a publicidade
Publicidade