Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Para conter malária, Camarões distribuirá mosquiteiros

Crianças de idades entre 3 e 5 anos são as mais afetadas e representam 68% das mortes registradas por malária na África Ocidental

Por Da Redação 20 ago 2011, 13h01

O governo de Camarões distribuirá mais de 1 milhão de mosquiteiros impregnados com inseticida em povoados rurais para conter a malária, informou neste sábado o primeiro-ministro do país, Philémon Yang. O chefe de governo de Camarões apresentou o plano nacional de combate à malária, doença transmitida por mosquitos que produz febres intensas e pode causar a morte.

Segundo o relatório do Comitê Nacional de Luta contra a Malária (CNLP), publicado em 25 de junho passado, a taxa de prevalência da doença foi de 24% em 2010, o que representa uma queda de cinco pontos percentuais em relação aos 29% de 2009. O documento revela que as crianças de idades entre 3 e 5 anos são as mais afetadas e representam 68% das mortes registradas por malária na África Ocidental.

O ministro da Saúde, André Mama Fouda, afirmou no lançamento do plano nacional que os camaroneses “verão nos próximos anos uma significativa queda da taxa de infecções”. Em 11 de fevereiro de 2011, o presidente da República, Paul Biya, anunciou o tratamento gratuito contra a malária para crianças entre 0 e 5 anos. As estatísticas do Ministério da Saúde de Camarões correspondentes a maio de 2011 indicam que um camaronês morre a cada minuto devido à doença. A meta do governo é acabar com as mortes por malária até 2015.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade