Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Papa Francisco faz nova defesa da vacinação contra a Covid-19

O pontífice diz que as vacinas são moralmente aceitáveis e que podem ser usadas sem qualquer objeção de consciência do ponto de vista do catolicismo

Por Simone Blanes 17 set 2021, 14h15

Após já ter declarado que se vacinar é “um ato de amor”, o Papa Francisco fez novamente a defesa enfática da importância da vacinação contra a Covid-19 e outras doenças que podem ser prevenidas por meio da imunização. “As vacinas são moralmente aceitáveis e podem ser usadas em sã consciência”, declarou o pontífice aos jornalistas que estavam a bordo do avião que o levou de volta à Itália depois de sua visita à Eslováquia.

Francisco, que está vacinado, demonstrou preocupação com a resistência às vacinas, inclusive dentro do Vaticano.  “Mesmo no Colégio de Cardeais há alguns negacionistas da vacina. Mas um deles, coitadinho, está hospitalizado depois de ser infectado. Essas são as ironias da vida”, contou, sem revelar o nome do cardeal que teria sido internado. Especula-se que seja o cardeal americano conservador Raymond Burke, de 73 anos, que recentemente desenvolveu quadro grave da doença e necessitou de auxílio de ventilação mecânica. Não está claro se Burke foi vacinado ou não. Mas no passado o religioso fez críticas à imunização.

Francisco salientou, porém, que quase todos no Vaticano estão imunizados e que estudam meios de convencer os que ainda não se protegeram. “Quando crianças fomos vacinados contra sarampo, poliomielite – e ninguém disse nada”, afirmou. Ele considera que alguns debates sobre a vacina podem aumentar os temores e incertezas e aconselhou: “Devemos esclarecer as coisas e falar com calma”.

Publicidade