Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Os perigos da droga que preocupa o governo no Carnaval

Pouco conhecida, o NBOMe é vendida como LSD e pode ter levado à morte algumas dezenas de pessoas no Brasil e no exterior

A Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas, ligada ao Ministério da Justiça, revelou preocupação com o crescimento de uma droga chamada NBOMe neste Carnaval. A substância, um ácido alucinógeno confundido com o LSD (dietilamina do ácido lisérgico), é suspeita de ter causado mortes em países da Europa, nos Estados Unidos e também no Brasil. O laudo do Instituto Médico Legal de São Paulo sobre a morte do estudante Victor Hugo Santos, em setembro do ano passado, apontou que ele se afogou na raia olímpica da Universidade de São Paulo (USP) após ter consumido a droga.

Sintetizado no início do século XXI a partir de moléculas do grupo das feniletilaminas, o NBOMe é, como o LSD, vendido em tiras de papéis coloridos para serem colocadas na língua. Por haver poucos estudos sobre a droga, suas consequências ainda não são muito difundidas entre médicos e usuários.

Tal como o LSD, a substância causa alterações na percepção, como observar cores e formas vívidas e mutantes, e a sensação de que o indivíduo se funde com o ambiente. “Seu efeito é basicamente o mesmo do LSD”, explica o psiquiatra Ivan Braun, doutor pela Faculdade de Medicina da USP e especialista no tratamento de usuários de drogas.

Leia também:

Sizzrup, a droga de Bieber, já chegou ao Brasil

Por que as drogas viciam tanto?

Mas as semelhanças param por aí. Por ser mais forte que o LSD – são necessárias doses pequenas de NBOMe para obter os mesmos efeitos -, a droga traz riscos psicológicos maiores. Alguns casos de morte no exterior se deram após os usuários, sofrendo fortes alucinações, se jogarem de janelas ou varandas.

“Em uma das pesquisas se relata que os efeitos desagradáveis do NBOMe, durante a fase de ‘barato’, podem ser mais intensos que os dos alucinógenos clássicos”, afirma Braun. De acordo com o psiquiatra, há casos descritos de intoxicação pela substância. “Há relatos de aumento da pressão arterial, febre, morte de células musculares e mesmo convulsões”, relata.

Origem – O NBOMe é uma droga sintética que começou a ser produzida em 2003, na Alemanha. Seu propósito inicial foi de marcador de atividade de receptores de serotonina (uma substância química envolvida na comunicação entre as células nervosas), no cérebro.

Como entorpecente, tornou-se conhecido no exterior há cinco anos. No Brasil, chegou entre 2011 e 2012 e, devido a sucessivas apreensões em 2013, em Estados como São Paulo e Santa Catarina, foi proibido em fevereiro de 2014. Nesta data, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) colocou 11 variações do NBOMe (como o 25I-NBOMe ou 25B-NBOMe) na lista de substâncias proibidas. Nos Estados Unidos, a droga, que é usada em festas, costuma ser chamada de N-Bomb ou N-Bome.