Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

ONU estabelece meta para conter ebola em até nove meses

Organização criou centro para coordenar ações destinadas a combater a maior epidemia da doença da história

A Organização das Nações Unidas (ONU) está criando um Centro de Crise para o Ebola. O objetivo é interromper a transmissão do vírus dentro de seis a nove meses e prevenir uma propagação internacional da doença, informou o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, nesta sexta-feira.

Segundo Ban Ki-moon, 600 milhões de dólares são urgentemente necessários para suprimentos de combate ao ebola na África Ocidental. Ele novamente encorajou linhas aéreas e países com transporte naval a suspender as restrições de voos e ao acesso aos portos, de modo que médicos, enfermeiros, macas e equipamento médico e suprimentos possam chegar aos necessitados. “Esse é um desafio sério e imenso”, disse.

Leia também:

Mais um laboratório vai testar vacina contra o ebola

Japoneses desenvolvem teste que detecta ebola em 30 minutos

O Centro de Crise para o Ebola vai coordenar esforços da ONU, de organizações de assistência, governos, setor privado, instituições financeiras e outros grupos para trazer “sinergia e eficiência” a fim de encerrar o surto. “A doença está se espalhando mais rápido do que a resposta contra ela. As pessoas estão cada vez mais frustradas”, afirmou o secretário.

Epidemia – Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 2 000 pessoas já morreram devido ao surto de Ebola na África Ocidental entre os cerca de 4 000 pacientes infectados nos três países mais atingidos pela doença – Serra Leoa, Libéria e Guiné.

A OMS reuniu nesta sexta-feira, em Genebra, 200 especialistas internacionais para discutir tratamentos experimentais contra a atual epidemia de ebola. Após a reunião, a agência anunciou que as terapias sanguíneas e os soros poderão ser utilizados a partir de agora nos países atingidos pelo surto. Segundo a organização, a segurança sanitária das duas primeiras vacinas desenvolvidas contra a doença será testada no Mali, e os resultados deverão ser anunciados em novembro.

(Com Estadão Conteúdo)