Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Olimpíada: todos têm que fazer a sua parte para vencer a Covid-19, diz OMS

O diretor-geral da organização, Tedros Ghebreyesus, espera que os jogos sejam uma fonte de esperança e unidade para encerrarmos a pandemia

Por Giulia Vidale Atualizado em 20 jul 2021, 19h41 - Publicado em 20 jul 2021, 17h03

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse nesta terça-feira, 20, que a Covid-19 pode ser derrotada se todos fizerem sua parte. “Feliz por estar no Japão para falar com o Comitê Olímpico Internacional. Cheguei com uma mensagem simples, mas urgente: podemos derrotar a Covid-19, mas apenas se todos fizerem sua parte. Que a Olimpíada de Tóquio 2020 seja uma fonte de esperança e unidade para alcançarmos igualdade de vacina e encerrarmos a pandemia.”, disse em publicação no Twitter.

LEIA TAMBÉM: Como surge uma variante do coronavírus?

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (Coi), Thomas Bach, havia dito que o diretor-geral da OMS estaria em Tóquio para dar um discurso aos membros do COI na quarta-feira, 21. A OMS aconselhou os organizadores japoneses e o COI sobre medidas de saúde a serem tomadas pelos participantes e nos locais de competição durante o evento de 23 de julho a 8 de agosto.

No começo deste mês, Maria van Kerkhove, líder técnica da OMS sobre Covid-19, disse a repórteres que estava pedindo que os organizadores tomassem precauções para conter a disseminação do coronavírus. Até segunda-feira, 19, já foram registrados 62 casos de Covid-19 em pessoas ligadas aos Jogos Olímpicos, sendo 33 residentes no Japão e 29 que vieram de fora, segundo a porta-voz do Comitê Organizador de Tóquio. Na Vila Olímpica, três atletas testaram positivo para a doença. O último caso ocorreu na segunda-feira, 19: o jogador de vôlei de praia checo Ondrej Perusic, que faz dupla com David Schweiner.

Tóquio, cidade-sede das Olimpíadas do Japão, está em estado de emergência até o final dos Jogos, em 8 de agosto, devido ao aumento de casos da doença. A disseminação de variantes altamente contagiosas associada a baixa taxa de vacinação contribuíram para o aumento dos casos. A preocupação é que os jogos agravem ainda mais o cenário.

Com Agência Brasil

 

Continua após a publicidade
Publicidade