Clique e assine a partir de 9,90/mês

O drama da atleta paralímpica que planeja eutanásia

A medalhista belga Marieke Vervoot, uma das favoritas nas provas de atletismo dos Jogos Paralímpicos do Rio, sofre de uma doença degenerativa na coluna

Por Da Redação - 7 set 2016, 18h31

A medalhista Marieke Vervoot é uma das atletas favoritas nas provas de atletismo nos Jogos Paralímpicos do Rio. Depois de competir, contudo, Marieke, de 37 anos, planeja voltar à Bélgica, seu país de origem, e entrar com um pedido de eutanásia. Lá, a prática é autorizada desde 2002 a doentes incuráveis que enfrentam sofrimento físico e psíquico e requer o consentimento por escrito de três médicos.

Marieke sofre de uma doença degenerativa incurável na coluna vertebral. Aos 14 anos, ela perdeu a capacidade de caminhar e passou a se locomover por cadeira de rodas.

“Quando sento na minha cadeira de corrida, tudo desaparece”

Marieke Vervoot

“Todo mundo me vê sorrindo com minha medalha de ouro, mas ninguém vê o lado escuro. Sofro muito e, às vezes, durmo apenas 10 minutos por noite. O Rio é o meu último desejo”, disse, em entrevista ao jornal francês Le Parisien. Além das noites insones, ela relata sentir muitas dores e também desmaia com frequência.

Leia também:

Podemos decretar a própria morte?

Paralimpíada começa hoje; Brasil tem meta ambiciosa

Em 2007, iniciou a prática de basquete adaptado e depois se dedicou ao triatlo, esporte composto por natação, ciclismo e corrida. Um ano depois, porém, a condição de Marieke piorou e ela decidiu investir no atletismo. Nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012, ganhou ouro na disputa dos 100 metros e prata nos 200 metros. Na Paralimpíada do Rio, ela irá competir nas provas de 100 e 400 metros rasos em cadeira de rodas.

As informações são do jornal britânico Daily Mail.

 

Continua após a publicidade
Publicidade