Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Novo surto de gripe aviária na China chega a Pequim

Vírus H7N9 já infectou mais de 40 e provocou onze mortes no país asiático

A China confirmou neste sábado que uma menina de 7 anos, moradora de Pequim, foi infectada pelo novo vírus da gripe aviária, o H7N9. Foi o primeiro caso da nova cepa da gripe registrado na capital do país. Desde o final de março, quando o vírus foi detectado pela primeira vez em humanos, mais de 40 pessoas já foram contaminadas pelo H7N9 na China, principalmente na região de Xangai. Até agora, o surto provocou onze mortes.

De acordo com a agência estatal Xinhua, o pai da criança infectada em Pequim trabalha em um comércio de frangos. A agência acrescenta que duas pessoas que tiveram contato próximo com a criança não apresentam sintomas da doença.

Leia mais:

ONU demonstra preocupação com gripe aviária na China

OMS não vê indício de transmissão humana do vírus H7N9

Origem incerta – A fonte exata da infecção é desconhecida, mas amostras apontaram resultados positivos em algumas aves comercializadas em mercados avícolas, que permanecem sendo o foco das investigações das autoridades chinesas.

O novo vírus é grave para a maioria das pessoas, o que despertou temores de que, caso se torne facilmente transmissível, possa causar uma pandemia mortal de gripe. No entanto, a Organização Mundial de Saúde (OMS) diz que ainda não há evidências da transmissão do H7N9 entre pessoas, algo que poderia provocar uma pandemia. Recentemente, a ONU manifestou preocupação com a possibilidade do novo vírus se espalhar além das fronteiras da China, principalmente no Sudeste Asiático.

Histórico – O H5N1, outra cepa do vírus da gripe aviária, provocou mais de 300 mortes de humanos desde 2003. Segundo a OMS, a maioria dos tipos de vírus da gripe aviária não contamina seres humanos e a maior parte dos casos de infecção pelo H5N1 ocorreu a partir do contato com aves infectadas.

(Com agências EFE e France-Presse)