Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Novavax: vacina contra Covid-19 tem 90% de eficácia em testes nos EUA

Imunizante teve alta resposta às variantes de preocupação; nos testes, não houve hospitalizações e mortes entre pacientes que tomaram doses do medicamento

Por Da Redação Atualizado em 14 jun 2021, 10h29 - Publicado em 14 jun 2021, 10h05

A empresa Novavax divulgou nesta segunda-feira, 14, os resultados da última fase de testes da candidata a vacina contra a Covid-19. O ensaio clínico, com base nos Estados Unidos, mostrou que a vacina é mais de 90% eficaz contra a doença e fornece proteção no caso das variantes.

O estudo incluiu 30.000 voluntários nos EUA e no México. A empresa vai pedir a autorização de emergência das autoridades de saúde norte-americanas e fará o mesmo em outros países no terceiro trimestre do ano.

A vacina candidata da Novavax foi mais de 93% eficaz contra as variantes predominantes de Covid-19, que têm sido motivo de preocupação entre cientistas e funcionários de saúde pública, disse a empresa.

Durante os testes, a variante B.1.1.7, descoberta pela primeira vez no Reino Unido, se tornou a variante mais comum nos Estados Unidos.

A Novavax detectou também as variantes encontradas pela primeira vez no Brasil, na África do Sul e Índia entre os participantes do estudo, disse à agência Reuters o chefe de Pesquisa e Desenvolvimento da Novavax, Gregory Glenn.

A vacina foi 91% eficaz entre os voluntários com alto risco de infecção grave e 100% eficaz na prevenção de casos moderados e graves da infecção pelo novo coronavírus.

A farmacêutica informou que a vacina foi geralmente bem tolerada entre os participantes. Os efeitos secundários incluíram dor de cabeça, fadiga e dor muscular e foram geralmente leves, relatos muito parecidos com os apontados por pacientes que receberam outros tipos de imunizante contra a doença. Um pequeno número de participantes registrou efeitos colaterais descritos como graves.

A empresa diz que segue a caminho de produzir 100 milhões de doses por mês até o final do terceiro trimestre de 2021 e 150 milhões de doses por mês no quarto trimestre de 2021.

(Com Agência Brasil)

Continua após a publicidade
Publicidade