Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Noruega é melhor país para ser mãe

Por Da Redação 3 Maio 2010, 20h14

“As mães vivem melhor na Noruega e na Austrália”, afirmou nesta segunda-feira a organização Save the Children, enquanto no outro extremo está o Afeganistão, pior país na classificação dos “melhores e piores lugares para ser mãe”.

A ONG publicou um ranking de 160 países em um informe intitulado “Estado das Mães do Mundo 2010”, revela um comunicado emitido nesta segunda-feira em Dacar.

Entre os dez melhores locais para dar à luz, “a Noruega ocupa o primeiro lugar, seguido de Austrália, Islândia, Suécia, Dinamarca, Nova Zelândia, Finlândia, Holanda, Bélgica e Alemanha”, afirma a ONG, que situa Irlanda e França nas 11º e 12º posições, respectivamente.

“Nas dez últimas posições, encontramos o Afeganistão no último lugar, precedido por Nigéria, Chade, Guiné Bissau, Iêmen, República Democrática do Congo, Mali, Sudão, Eritreia e Guiné Equatorial”, acrescenta a ONG.

“O que poderia ser feito para melhorar a situação das mães e dos recém-nascidos na África? Apostar mais na disponibilização e formação de médicas”, responde a organização.

Continua após a publicidade

Para dar uma ideia da situação, a organização faz comparações: “Na Etiópia, apenas 6% dos nascimentos são assistidos por uma equipe qualificada, enquanto na Noruega praticamente todos os nascimentos contam com a presença de profissionais especializados”.

Save the Children também afirma que “na Nigéria, as mulheres recebem menos de quatro anos de educação formal”, enquanto “na Austrália e na Nova Zelândia, cada mulher passa, em média, mais de 20 anos na escola”.

A organização examina “as diversas soluções para que as mulheres que trabalham nos cuidados médicos contribuam para salvar a vida das mães, dos recém-nascidos e das jovens mães”. E lança “uma convocação urgente para aumentar o número de agentes de saúde nas nações mais pobres do mundo”.

O relatório na íntegra está disponível no site oficial da ONG.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês