Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Trio recebe Nobel de Medicina por estudo sobre relógio biológico

Americanos Jeffrey Hall, Michael Rosbash e Michael Young explicaram como os organismos de plantas, animais e humanos se adaptam ao ritmo da rotação da Terra

Os vencedores do Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina de 2017 são os americanos Jeffrey Hall, Michael Rosbash e Michael Young, por suas descobertas sobre os mecanismos moleculares que controlam os ritmos circadianos – uma espécie de relógio biológico interno que regula o metabolismo dos seres vivos. As descobertas feitas pelo trio explicam como as plantas, animais e humanos adaptam seus ritmos biológicos de maneira que eles fiquem sincronizados com a rotação da Terra.

O anúncio foi feito nesta segunda-feira pela organização que concede o prêmio, o Instituto Karolinska, na Suécia. Os três laureados nasceram e trabalham nos Estados Unidos. Hall nasceu em Nova York, em 1945, e é professor da Universidade do Maine. Rosbach nasceu em Kansas City, em 1944, e é professor da Universidade Brandeis. Young nasceu em 1949, em Miami, e atua na Universidade Rockefeller, em Nova York.

O relógio biológico está envolvido com diversos aspectos da complexa fisiologia dos seres vivos. Todos os organismos multicelulares, incluindo os humanos, utilizam esse tipo de mecanismo para controlar os ritmos circadianos. Uma grande proporção dos genes humanos é regulada pelo relógio biológico e, consequentemente, um ritmo circadiano cuidadosamente calibrado adapta nossa fisiologia a diferentes fases do dia.

“Desde as descobertas seminais dos três laureados, a biologia circadiana se desenvolveu em um vasto e altamente dinâmico campo de pesquisas, com implicações para nossa saúde e bem-estar”, disse o comitê do Nobel.

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Sobre a pesquisa mesmo nada né. O foco é a fofoca, nem com temas relevantes consegue ler alguma coisa de útil sobre ciência na veja.

    Curtir

  2. Faltou explicar melhor para o leitor a novidade da descoberta.

    Curtir