Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Múltipla exposição à anestesia pode dobrar os riscos de déficit de atenção em crianças

Foram pesquisadas crianças expostas duas ou mais vezes à anestesia antes de completarem três anos de idade

Crianças que foram expostas a anestesias por mais de duas vezes antes dos três anos de idade têm o dobro de chances de desenvolverem o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH). A pesquisa, feita por profissionais da Clínica Mayo, nos Estados Unidos, acaba de ser publicada no periódico Mayo Clinic Proceedings.

Leia também:

Déficit de atenção: 8 sinais aos quais os pais devem ficar atentos

No levantamento, foram analisados dados de um estudo epidemiológico com crianças nascidas entre 1976 e 1982 em Rochester, nos Estados Unidos. Determinou-se, então, quais crianças haviam desenvolvido algum tipo de deficiência de aprendizado ou TDAH nos anos letivos.

Foram encontrados 341 casos de TDAH entre os jovens que tinham menos de 19 anos. Os pesquisadores separaram, então, aqueles que haviam sido expostos à anestesia e à cirurgia antes de completarem três anos de idade. As crianças que não haviam recebido anestesia ou feito algum tipo de cirurgia tinham TDAH em índices de 7,3%. As taxas para aquelas que tinham passado apenas uma vez por alguma das situações era praticamente a mesma.

Mas, para aquelas crianças que tinham tido duas ou mais exposições, os índices de TDAH pulavam para 17,9%. “É importante frisar que esse é um estudo observacional. Um grande leque de outros fatores pode ser responsável pela alta frequência de TDAH nas crianças com múltiplas exposições”, diz David Warner, anestesiologista pediátrico da Clínica Mayo e membro da equipe de pesquisadores. Segundo o especialista, é necessário que estudos posteriores confirmem e destrinchem melhor a descoberta.

Clique nas perguntas abaixo para tirar dúvidas sobre o TDAH:

(Com reportagem de Aretha Yarak) *O conteúdo destes vídeos é um serviço de informação e não pode substituir uma consulta médica. Em caso de problemas de saúde, procure um médico.