Clique e assine a partir de 9,90/mês

Mulheres heterossexuais têm menos orgasmos, diz estudo

Um novo estudo mostrou que mulheres heterossexuais têm menos orgasmos do que mulheres homossexuais ou bissexuais e homens

Por Da redação - 1 mar 2017, 13h49

Mulheres heterossexuais têm menos orgasmos do que mulheres lésbicas ou bissexuais e homens. A conclusão é de um estudo publicado recentemente no periódico científico Archives of Sexual Behaviour que analisou o “intervalo de orgasmos” entre gêneros e diferentes orientações sexuais. As informações são da rede BBC.

De acordo com os autores, essa diferença pode ser explicada por razões sociais e evolutivas e “o fato de que as mulheres lésbicas têm orgasmos com maior frequência do que as mulheres heterossexuais indica que muitas heterossexuais podem ter maiores taxas de orgasmo”. Entre as possíveis “estratégias” para modificar esse cenário nas mulheres heterossexuais, os pesquisadores indicam mais sexo oral e estimulação manual. 

A pesquisa

Para chegar a essas conclusões, pesquisadores da Universidade de Indiana, Universidade Chapman e Universidade de Claremont, todas nos Estados Unidos, realizaram um levantamento com 52.600 pessoas nos Estados Unidos. Os resultados mostraram que a proporção de pessoas que geralmente têm orgasmos é de 65% das mulheres heterossexuais, 66% das mulheres bissexuais, 86% das lésbicas, 88% dos homens bissexuais, 89% dos homens gays e 95% dos homens heterossexuais.

A pesquisa também mostrou que poucas mulheres heterossexuais atingiram o orgasmo somente com penetração. De acordo com os autores, houve uma clara associação entre a frequência do sexo oral e o número de orgasmos em mulheres heterossexuais, lésbicas, bissexuais, homens gays e bissexuais. Esse padrão apenas não foi detectado em homens heterossexuais.

Continua após a publicidade

Entre os possíveis motivos para essa diferença estão razões sociais e evolutivas: o estigma que acaba inibindo as mulheres de expressar seu desejo dificulta a descoberta sexual; a crença, entre alguns homens, de que a maioria das mulheres têm orgasmo durante com penetração; e o diferente propósito evolutivo do orgasmo entre homens e mulheres.

Estímulos

Felizmente, os autores ressaltam que “os resultados, indicam que essa diferença entre a frequência de orgasmos pode ser reduzida”. Outros comportamentos ligados a um aumento de orgasmos nas mulheres foram: perguntar o que a parceira gosta, elogiar a parceiro por algo que ela fez, ligar ou enviar e-mails e mensagens provocantes, usar uma lingerie especial, tentar novas posições, estimulação anal, falar sobre ou  experimentar fantasias sexuais e envolver-se em conversas sensuais e expressões de amor durante o sexo.

Publicidade