Clique e assine a partir de 9,90/mês

Ministério da Saúde deixa de contabilizar casos suspeitos no país

Secretário-executivo da pasta afirmou que qualquer brasileiro que apresente quadro gripal será tratado como possível infectado

Por Da Redação - 21 mar 2020, 18h13

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, anunciou neste sábado, 21, durante coletiva de imprensa que o órgão não irá mais divulgar números de casos suspeitos de coronavírus, conforme vinha sendo feito desde o início do surto no país. Serão divulgados apenas os dados relacionados aos casos confirmados e óbitos.

A medida foi atribuída ao fato de o país ter registrado transmissão comunitária, quando não há mais como as autoridades rastrearem a origem das contaminações. “Qualquer brasileiro que apresentar síndrome gripal será considerado suspeito. Não faz mais sentido relacionar a viagens a países contaminados”, disse o secretário-executivo.

De acordo com o ministério, o país tem 1128 casos confirmados e 18 mortes. Os estados do Rio de Janeiro e São Paulo são os mais atingidos, com 119 e 459 casos confirmados respectivamente. O Distrito Federal aparece em terceiro lugar, com 100 casos. Foram registrados 15 óbitos em São Paulo e 3 no Rio de Janeiro.

O secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira, prevê um aumento no número de pacientes com sintomas leves que necessitem de testes nos próximos dias, por isso, há a previsão de distribuir 5 milhões de testes rápidos. O ministério já distribuiu 27 mil testes para todo país desde o início da pandemia.

Continua após a publicidade

 

 

Publicidade