Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Médico que não for bem no curso preparatório retornará para o seu país

Profissionais do Mais Médicos começaram nesta segunda-feira um curso sobre legislação médica brasileira, doenças típicas no país e língua portuguesa

O Ministério da Saúde informou que se o desempenho dos médicos estrangeiros não for satisfatório durante o curso de três semanas, eles serão desligados do Programa Mais Médicos e voltarão aos seus países. O curso a que estão submetidos todos os médicos estrangeiros é sobre legislação médica brasileira, língua portuguesa e doenças prevalentes no país.

Segundo o professor Rodrigo Cariri, que coordena o curso no campus da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), no município metropolitano de Vitória de Santo Antão, a avaliação dos profissionais será permanente. Ao longo do curso e ao seu final, os médicos testarão seus conhecimentos da língua portuguesa em provas escrita e oral.

A primeira fase do Mais Médicos contará com 1.618 profissionais, sendo que 682 deles são formados no exterior a participarão do curso de três semanas. Destes, 400 são cubanos que vieram ao Brasil graças a um convênio entre o Ministério da Saúde e a Organização Panamericana de Saúde (Opas), e o restante, médicos de outros países que se candidataram ao programa.

Desde esta segunda-feira e durante três semanas, esses profissionais passarão pelo curso preparatório e também terão contato com as particularidades dos municípios para os quais foram designados. Os cursos serão dados em oito capitais: São Paulo, Brasília, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Fortaleza, Recife e Salvador. Somente depois disso, os profissionais irão para as cidades em que viverão.

Leia também:

Cubanos não podem deixar alojamento, diz estrangeiro

Em Brasília, vice-ministra cubana nega ‘mercantilização’ de médicos

Primeiros médicos formados no exterior chegam ao Brasil

(Com Estadão Conteúdo)