Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mais Médicos: 1ª fase tem 358 estrangeiros inscritos

Somente 10,5% das vagas abertas pelo programa foram preenchidas. Ao todo, 1.618 profissionais se inscreveram - 522 deles, formados no exterior

Das 15 460 vagas abertas durante a primeira fase do programa Mais Médicos do governo federal, 1 618 – ou 10,5% – foram preenchidas, informou nesta quarta-feira o Ministério da Saúde. Deste total, 358 serão ocupadas por profissionais estrangeiros e 164 por brasileiros graduados no exterior. O restante, 1 096, serão ocupadas por médicos com registro obtido no Brasil.

De acordo com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, 579 municípios foram contemplados pelo programa neste primeiro ciclo – ou seja, apenas 16,4% das 3.511 cidades que haviam se cadastrado inicialmente. Dessas, 67,3% estão em áreas de extrema pobreza e distritos de saúde indígena. O restante está localizado nas periferias de capitais ou de regiões metropolitanas.

A região do país que concentra o maior número de municípios contemplados é o Nordeste (261), seguida pelo Sul (103), Sudeste (101), Norte (78) e Centro-Oeste (36). Segundo o Ministério da Saúde, 703 dos 3.511 municípios inscritos no programa não foram selecionados por nenhum candidato como uma das seis opções de cidades onde desejariam atuar.

Leia também:

Médicos estrangeiros escolhem áreas menos carentes

Governo preenche apenas 6% das vagas do programa Mais Médicos

Pesquisa mostra que aprovação da população à vinda de médicos estrangeiros aumentou

Somatória – Inicialmente, 16.530 médicos brasileiros haviam se inscrito no programa do governo federal. No dia 6 de agosto, porém, o Ministério da Saúde informou que apenas 938 desses profissionais haviam confirmado a participação no programa, o equivalente a 6% das vagas abertas. A principal resistência dos profissionais aconteceu em relação à área para a qual foram alocados – o que os levou a não finalizar o cadastro no programa.

Os médicos brasileiros que chegaram a selecionar os municípios onde desejavam atuar, mas que não finalizaram a homologação, tiveram dois dias para indicar outras seis opções de cidades. Com isso, o número de profissionais brasileiros que concluiu o cadastro no programa aumentou de 938 para 1.096.

Exterior – Além disso, 715 profissionais formados em outros países demonstraram interesse em participar do programa do governo federal. Eles tiveram até esta segunda-feira para confirmar se aceitavam ou não a cidade para a qual foram selecionados. Desses médicos, 522 candidatos de 32 países homologaram a inscrição no programa, sendo 358 estrangeiros e 164 brasileiros formados no exterior.

A Argentina é o país com a maior adesão ao programa (141), seguida por Espanha (100), Cuba (74), Portugal (45) e Venezuela (42). O ministro da Saúde informou que 74 médicos selecionados se formaram em Cuba, mas que nenhum é cubano.

Próximas datas – Entre os dias 23 e 25 de agosto, os médicos estrangeiros deverão chegar ao Brasil. Eles serão submetidos, durante três semanas, a uma avaliação de língua portuguesa e a um curso sobre o funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS), sobre as doenças tropicais e cuidados de saúde indígenas. Esses profissionais devem chegar aos municípios onde atuarão no dia 1º de outubro.

Na próxima segunda-feira, o Ministério da Saúde abrirá um segundo ciclo de inscrições de municípios e médicos que desejam participar do programa.