Clique e assine com até 92% de desconto

Jogar games uma hora por dia ajuda a ‘treinar’ o cérebro

Novo estudo mostrou que o hábito melhora, de fato, as habilidades cognitivas, mas apenas aquelas que são exigidas durante um determinado jogo

Por Da Redação 14 mar 2013, 11h32

Jogar videogame durante uma hora todos os dias já é o suficiente para surtir efeitos positivos na cognição de uma pessoa. Mas, de acordo um estudo da Universidade Tecnológica de Nanyang, em Singapura, o hábito treina o cérebro apenas em relação a tarefas cognitivas específicas que são exigidas em cada jogo. Os resultados da pesquisa foram publicados nesta quarta-feira no periódico PLoS One.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Enhancing Cognition with Video Games: A Multiple Game Training Study

Onde foi divulgada: periódico PLoS One

Quem fez: Adam C. Oei e Michael Patterson

Instituição: Universidade Tecnológica de Nanyang, Singapura

Dados de amostragem: 75 jovens de 21 anos em média

Resultado: Jogar um determinado jogo de videogame durante uma hora, cinco dias por semana e ao longo de um mês, já é suficiente para melhorar o desempenho em habilidades cognitivas específicas que são exigidas nesses jogos.

Continua após a publicidade

Segundo os autores do estudo, embora trabalhos anteriores tenham observado que jogos de ação beneficiam a cognição, esta é a primeira vez em que uma pesquisa mostra que diferentes tipos de jogos – e não só os de ação – podem melhorar habilidades cognitivas distintas.

O estudo selecionou 75 pessoas com uma idade média de 21 anos que foram distribuídas em cinco grupos. Cada grupo foi orientado a jogar, em um smartphone, um tipo de jogo durante uma hora por dia. Entre os jogos, havia tanto os de ação, como um em que era preciso encontrar objetos escondidos em um curto espaço de tempo, mas também de outros tipos, como aqueles que consistiam em, por exemplo, combinar três objetos idênticos ou jogar algo parecido com o The Sims.

Desempenhos – Antes e depois do período em que os participantes deveriam passar jogando os games, eles realizaram testes que avaliaram diversas capacidades cognitivas de cada um. De acordo com os resultados, as pessoas melhoraram seu desempenho especificamente nas tarefas que eram exigidas nos jogos. Por exemplo, as pessoas que jogaram desafios de ação melhoraram a sua capacidade de rastrear objetos em um curto espaço de tempo. Aquelas que se dedicaram a jogos em que era preciso combinar três objetos semelhantes, por sua vez, melhoraram a atuação em testes de memória visual.

Segundo as conclusões do estudo, portanto, o videogame não parece provocar uma melhora em todas as habilidades cognitivas, mas sim das capacidades exigidas nos jogos. “No geral, esses resultados sugerem que muitas melhorias cognitivas relacionadas aos jogos provavelmente não se devem ao treinamento de sistemas cognitivos gerais, como o controle da atenção, por exemplo, mas sim devido a processos cognitivos que acontecem durante o jogo”, escreveram os autores.

Leia também:

“O ambiente digital está alterando nosso cérebro de forma inédita”

Videogames podem ajudar crianças com paralisia cerebral

Videogames melhoram atenção visual, mostra pesquisa

Continua após a publicidade
Publicidade