Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Incor comemora a marca de mil transplantes de órgãos

Nos últimos 30 anos, o Instituto do Coração realizou 564 transplantes de coração em adultos, 230 em crianças e 286 transplantes de pulmão

Por Giulia Vidale 1 ago 2016, 16h36

O Instituto do Coração (Incor) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP acaba de superar a marca de mil transplantes de coração e pulmão. Segundo dados divulgados nesta segunda-feira, desde 1985 a instituição realizou 564 transplantes de coração em adultos, 230 em crianças e 286 transplantes de pulmão, totalizando 1.080 cirurgias até o dia 30 de junho.

Considerado um dos maiores centros de transplante cardíaco do mundo, em 2015 o Incor foi responsável por 40% dos 141 procedimentos realizados no estado de São Paulo. No que diz respeito aos transplantes de pulmão, o instituto realizou 38% de um total de 63 feitos em todo o estado. A tendência é essa porcentagem aumentar ainda mais, já que, apenas neste ano já foram realizados 22 transplantes de coração em adultos, seis em crianças e 21 transplantes de pulmão no Incor.

Segundo Roberto Kalil Filho, presidente do conselho diretor do InCor, o Núcleo de Transplantes do InCor, criado em 2013, é um dos principais fatores que permitiram ao instituto ampliar a realização de transplantes ao longo dos últimos anos. “Ao reunir num mesmo processo de gestão todas as equipes – cirúrgica, clínica e multiprofissional de transplantes de coração adulto e infantil e de pulmão, o Núcleo otimizou recursos, deu sinergia ao trabalho dos grupos e melhorou indicadores importantes, como o da taxa de mortalidade no pós‐cirúrgico imediato”, afirma Kalil.

Leia também:
Pela primeira vez no Brasil, paciente recebe pulmões recondicionados
Pela primeira vez, médicos transplantam coração sem batimento

“O InCor é um centro de excelência e motivo de orgulho para a saúde pública paulista e brasileira. A expertise de seu corpo clínico, aliada a uma estrutura de primeira linha, explica o sucesso da instituição como referência nacional na realização de transplantes de pulmão e coração”, diz David Uip, secretário de Estado da Saúde de São Paulo.

Doação de órgãos

Durante o evento de celebração realizado nesta segunda-feira, Kalil enfatizou a importância das campanhas de conscientização da população para a doação de órgãos, já que somente com autorização formal das famílias é possível iniciar o processo de doação. “Para que o número de transplantes continue a aumentar é de suma importância que se aumente o número de doadores, pois existem filas e pacientes morrem enquanto esperam sua vez para serem transplantados.”, ressalta Kalil.

Outro ponto destacado na ocasião foi a garantia da logística de órgãos. Em junho, o presidente em exercício, Michel Temer, ordenou que um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) estivesse permanentemente à disposição para atuar no transporte de órgãos e tecidos para transplantes.

O evento contou com a presença de Ricardo Barros, ministro da Saúde, José Serra, ministro das Relações Exteriores, Geraldo Alckmin, governador de São Paulo, David Uip, secretário de Estado da Saúde de São Paulo, Fernando Capez, presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, José Otavio Costa Auler Junior, presidente do conselho deliberativo do HCFMUSP e  Fabio Jatene, vice-presidente do conselho diretor do Incor.

Continua após a publicidade
Publicidade