Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Impressora 3D cura doença respiratória grave em bebês

Em procedimento experimental, médicos americanos implantaram dispositivos criados por impressora 3D na traqueia de três bebês com doença respiratória fatal. Hoje, eles levam uma vida normal

Médicos americanos salvaram a vida de três bebês que sofrem de traqueobroncomalácia, uma doença respiratória fatal, graças à produção de implantes produzidos por uma impressora 3D. Três anos após o procedimento, as crianças estão bem e respiram sozinhas. O estudo inovador foi publicado quarta-feira, no periódico científico Science Translational Medicine.

A traqueobroncomalácia se caracteriza por uma flacidez das paredes das vias aéreas, causando colapso da traqueia e dos brônquios na expiração. O dispositivo funciona como uma tala que ajuda a manter a traqueia aberta. A técnica ainda não foi aprovada pelos órgãos reguladores americanos. Os procedimentos, portanto, foram experimentais. A conduta é permitida já que as crianças corriam risco de morte. Segundo Glenn Green, professor de otorrinolaringologia pediátrica do Hospital Infantil C.S. Mott da Universidade de Michigan e principal autor do estudo, a doença causa infeções frequentes, o que reduz muito a expectativa de vida dessas crianças. “Trata-se da primeira cura para essa doença que tem matado crianças por muitas gerações”, afirmou Green.

Leia também:

Realizado na Holanda primeiro implante de mandíbula projetada em 3D

Impressão 3D pode reduzir a quantidade de cirurgias em crianças com doenças cardíacas

Agora a equipe irá testar o produto em um grupo maior. O próximo passo é agora implantar o dispositivo em 30 crianças que sofrem da doença em uma forma mais branda.

(Da redação)