Clique e assine a partir de 9,90/mês

Idade em que criança com TDAH começa a ser tratada é determinante para melhora do desempenho escolar

Segundo estudo, quanto mais cedo o jovem passar a receber tratamento, menor será o prejuízo em testes escolares ao longo do ensino fundamental

Por Da Redação - 25 Jun 2012, 11h05

Pesquisadores da Faculdade de Medicina Mount Sinai, nos Estados Unidos, e da Universidade da Islândia identificaram uma relação entre a idade em que uma criança com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) começa a receber o tratamento para o problema e o seu desempenho escolar ao longo dos anos. Segundo o estudo, jovens que iniciaram o tratamento aos dez anos apresentaram melhores resultados em testes de matemática após três anos do que aqueles que passaram a tomar os medicamentos a partir dos 12 anos de idade. A pesquisa foi publicada nesta segunda-feira na revista Pediatrics.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: A Population-Based Study of Stimulant Drug Treatment of ADHD and Academic Progress in Children

Onde foi divulgada: revista Pediatrics

Continua após a publicidade

Quem fez: Helga Zoëga, Kenneth Rothman, Krista Huybrechts, Örn Ólafsson e outros

Instituição: Faculdade de Medicina Mount Sinai, Estados Unidos, e Universidade da Islândia

Dados de amostragem: 11.872 crianças com TDAH

Resultado: O declínio do desempenho em testes de matemática realizados na quarta e na sétima série do ensino fundamental foi de 0,9% entre jovens que começaram a tomar medicamentos para TDAH aos dez anos e de 9,4% os que passaram a receber tratamento aos 13 anos

Continua após a publicidade

Ao todo, o trabalhou acompanhou 11.872 crianças islandesas que começaram a tomar medicamentos para TDAH em diferentes idades. Os pesquisadores aplicaram testes que avaliaram o desempenho acadêmico desses jovens quando eles estavam na quarta série do ensino fundamental (e tinham entre nove e dez anos de idade) e quando eles estavam na sétima série (entre 12 e 13 anos). Depois, eles compararam os resultados das duas avaliações.

Leia também:

Déficit de atenção: 8 sinais aos quais os pais devem ficar atentos

No geral, as crianças que começaram a tomar medicamentos para TDAH logo após realizarem os testes aplicados na quarta série do ensino fundamental tiveram uma piora de 0,3% nos resultados do segundo teste de matemática em comparação com o primeiro. Por outro lado, os jovens que passaram a receber o tratamento apenas entre a sexta e a sétima série apresentaram um declínio de 9,4% entre uma prova e outra. Os autores também concluíram que, enquanto entre as meninas o tratamento melhorou somente o desempenho em matemática, entre os meninos o benefício também ocorreu em relação aos testes relacionados à linguagem e à literatura.

Continua após a publicidade

Mais medicamentos – Um estudo publicado recentemente também no Pediatrics mostrou que as crianças americanas estão tomando menos antibióticos, mas maiores quantidades de remédios para TDAH. Essa pesquisa indicou que o número de prescrição dessas drogas aos jovens de até 17 anos aumentou em 46% entre 2002 e 2010 no país.

Para assistir aos vídeos, clique nas perguntas:

*O conteúdo destes vídeos é um serviço de informação e não pode substituir uma consulta médica. Em caso de problemas de saúde, procure um médico.

Publicidade