Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Idade dos pais influencia o risco dos filhos nascerem autistas

Pais com idade avançada, mães adolescentes e casais com grande disparidade de idade entre si correm risco maior, de acordo com estudo publicado no Molecular Psychiatry

Por Da Redação 9 jun 2015, 18h04

Filhos de mães adolescentes, de pais com mais de 10 anos de diferença de idade entre si e de casais com mais de 40 anos correm mais risco de desenvolver autismo. É o que diz o maior estudo multinacional já realizado relacionando idade dos pais e risco de autismo.

​De acordo com os autores, o objetivo da pesquisa, publicada nesta terça-feira, no periódico cientifico Molecular Psychiatry, era determinar se a idade avançada do pai, da mãe ou de ambos aumentaria o risco de autismo e de quanto seria esse aumento. Os resultados mostraram que quando os pais têm mais de 50 anos, o risco de autismo da criança é 66% maior em relação aos filhos de pais com 20 anos.

Causa – Os autores atribuíram este aumento no risco às mutações genéticas no esperma resultantes do envelhecimento.

Leia também:

Diabetes gestacional pode aumentar o risco de autismo no bebê, diz estudo

Pesquisa com 95 mil crianças enterra de vez o mito que associa vacina a autismo

Influência da idade da mãe – Já no caso das mães, aquelas com 40 anos corriam um risco 15% maior de ter um filho autista, em comparação com as de 20 anos. Por sua vez, filhos de adolescentes também corriam um risco 19% maior de autismo, em comparação com o mesmo grupo. De acordo com os autores, as taxas de autismo também aumentaram consideravelmente em filhos de casais com grande disparidade de idade entre si (10 anos ou mais).

Continua após a publicidade

Maior pesquisa já realizada sobre o assunto – Os pesquisadores analisaram dados de mais de 5,7 milhões de crianças nascidas entre 1985 e 2004 em cinco países diferentes – Dinamarca, Israel, Noruega, Suécia e Austrália.

Ao longo do estudo, que acompanhou as crianças até 2009 por meio de registros de saúde, 30.902 participantes foram diagnosticas com transtorno do espectro autista (TEA). A partir dos dados coletados durante os anos de acompanhamento, os autores conseguiram detectar a influência da idade dos pais no aumento do risco de autismo.

“Embora já houvesse outras pesquisas relacionando autismo e idade dos pais, este estudo é singular. Ao vincular os registros nacionais de saúde de cinco países, criamos o maior conjunto de dados do mundo para a investigação sobre os fatores de risco do autismo. O tamanho do conjunto de dados nos permitiu olhar para a relação entre a idade dos pais e o autismo em uma resolução mais detalhada”, disse Michael Rosanoff, coautor do estudo e diretor de pesquisa em saúde pública da Autism Speaks, organização que financiou o trabalho.

(Da redação)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)