Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

IBGE inicia investigação inédita sobre a saúde dos brasileiros

Pesquisadores visitarão 80.000 domicílios a partir desta segunda-feira. Em 25% das residências selecionadas, moradores terão sangue coletado

Por Pâmela Oliveira, do Rio de Janeiro 12 ago 2013, 12h28

A partir desta segunda-feira, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e o Ministério da Saúde iniciam uma investigação detalhada sobre a saúde da população, com visitas a 80.000 domicílios e coleta de dados em um detalhamento ainda inédito no país. Estão previstos, por exemplo, testes de sorologia para dengue – que identifica se o indivíduo teve a doença e que tipo de vírus causou a enfermidade – e exames de sangue e urina, além de questionários e de registro de medidas de peso e circunferência abdominal.

Pela primeira vez um estudo desse tipo se dedica exclusivamente à saúde dos brasileiros. Questionários com partes elaboradas para diagnosticar características da população já foram aplicados na Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílio (PNAD) em anos anteriores, mas aplicados combinados a outras questões.

Os trabalhos de campo começam nesta segunda-feira em São Paulo, Mato Grosso do Sul, Goiás, Rondônia, Roraima, Amapá e Rio Grande do Sul. De acordo com o IBGE, nas próximas semanas, a análise alcançará todas as unidades da federação. O detalhamento da pesquisa, com coleta de amostras de sangue e uma entrevista que pode durar até 90 minutos para um dos moradores do domicílio, será aplicado a 25% dos domicílios.

Ao chegar à residência, o representante do IBGE incluirá os nomes dos moradores em um computador portátil. O equipamento definirá quem passará pela minuciosa entrevista e será submetido aos exames, que serão realizados por laboratórios credenciados pelo Ministério da Saúde. A pessoa selecionada poderá marcar dia e horário para a realização dos exames.

O objetivo do estudo é fornecer ao Ministério da Saúde informações que possam orientar as políticas públicas, identificando também tendências que reflitam hábitos de alimentação, medicina preventiva, cobertura dos sistemas público e privado e o acesso a cada tipo de atendimento médico.

“A pesquisa vai possibilitar a verificação das metas de redução da hipertensão arterial, da diabetes e do consumo de sal, por exemplo. A sorologia da dengue permitirá a identificação de casos não diagnosticados da doença. Além disso, mostrará a circulação dos quatro vírus da doença no país, ferramenta importante para orientar os trabalhos de prevenção”, explicou Deborah Malta, diretora do Departamento de Análises de Situação da Saúde do Ministério da Saúde.

Continua após a publicidade

As residências para pesquisa serão escolhidas por um sistema informatizado do IBGE. Uma vez no endereço indicado, os pesquisadores precisarão, primeiro, convencer os moradores a receber a pesquisa e dedicar tempo às entrevistas. Os 25% que forem selecionados para a pesquisa detalhada receberão, como retorno, os exames detalhados – uma espécie de check-up completo de saúde.

Segundo o IBGE, as informações coletadas pela Pesquisa Nacional de Saúde são sigilosas. Os dados, inclusive os resultados dos exames laboratoriais, são garantidos pela lei do sigilo da informação estatística (Lei nº5534) e só podem ser utilizadas para fins estatísticos.

Pesquisa do IBGE confirma que obesidade é epidemia no Brasil

Brasileiro consome menos frutas e legumes do que o ideal

Dieta do brasileiro é carente de vitamina – e abusa do sódio

Brasileiro com maior renda come menos arroz e feijão

Continua após a publicidade
Publicidade