Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Fiocruz deve assinar até março contrato de transferência de tecnologia

Fundação afirma que o atraso na formalização do acordo não teve impacto no cronograma atual de entrega de vacinas

Por Giulia Vidale Atualizado em 22 fev 2021, 10h12 - Publicado em 21 fev 2021, 22h55

A Fiocruz afirmou neste domingo, 21, que o contrato de transferência de tecnologia para produção integral da vacina do Covid-19 de Oxford-AstraZeneca no Brasil será assinado até março. A fundação é responsável pela produção e distribuição do imunizante no país. Este semestre, as doses entregues vêm prontas ou são produzidas com ingrediente farmacêutico ativo (IFA) importado da China. A partir do segundo semestre de 2021, a previsão é que todo o processo seja feito em solo nacional. No entanto, o contrato desta etapa ainda não foi assinado, o que gerou dúvidas sobre a possibilidade de atraso na entrega das vacinas.

Em nota, a fundação confirmou que a assinatura do contrato está atrasada, mas nega que isso tenha impactado ou possa impactar de qualquer forma a entrega de vacinas. “O contrato que detalha a transferência de tecnologia tinha previsão de ser assinado ainda em 2020. No entanto, o grau de detalhamento necessário para esse tipo de documentação exigiu um tempo maior de preparação. O documento deverá ser assinado até março”, disse a fundação.

Ainda segundo a Fiocruz, o cronograma de preparação para a produção nacional do IFA segue normalmente até esse momento. Essa etapa segue até julho, com a produção de 100,4 milhões de doses da vacina. Após esse período, a fundação inicial a fabricação nacional completa. 

“A planta industrial de Bio-Manguinhos/Fiocruz já está sendo adaptada para essa produção e a previsão é de que esteja pronta em abril para a produção nacional do IFA. O início e a conclusão desse processo de transferência para a produção nacional do IFA, bem como as entregas de vacinas integralmente produzidas por Bio-Manguinhos/Fiocruz, previstas para o segundo semestre, estarão detalhadas em cronograma a ser pactuado no contrato de transferência.”, finaliza o comunicado.

Continua após a publicidade
Publicidade