Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

EUA registram primeira morte por sarampo em 12 anos

Mulher contraiu o vírus em uma clínica no condado de Clallam, em Washington. Este é o primeiro caso de morte por sarampo no país desde 2003

Autoridades de saúde dos Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira a primeira morte por sarampo no país em 12 anos. A vítima foi uma mulher, sem identidade divulgada, que contraiu a doença em uma clínica no condado de Clallam, em Washington. Ela não apresentava os sintomas típicos do sarampo, como coceira e manchas avermelhadas na pele. Por isso, a infecção só foi descoberta após a realização de uma necrópsia.

De acordo com o departamento de saúde local, a morte da mulher não estava ligada ao surto na Disney, mas a um outro surto que se desenvolveu no condado de Clallam. Este é o primeiro caso de morte por sarampo no estado de Washington desde 1990.

Somente neste ano, os Estados Unidos registraram 176 casos de sarampo, 117 dos quais estão ligados a um surto no parque temático da Disney, na California, segundo dados do Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

LEIA TAMBÉM:

Por que o movimento antivacina está errado

Pesquisa com 95 mil crianças enterra de vez o mito que associa vacina a autismo

“Esta situação trágica ilustra a importância de vacinar o maior número de pessoas possível para proporcionar um nível de proteção da comunidade contra o sarampo”, disse o departamento de Saúde.

O surto de sarampo coincide com um movimento cada vez mais forte nos Estados Unidos contra a vacina MMR (tríplice viral, sarampo, caxumba e rubéola). Seus detratores acreditam que a vacina está associada a um aumento da incidência de autismo – tese para a qual, segundo médicos especialistas, não existe evidência científica.

(com agência France-Presse)