Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

EUA não liberam venda de pílula do dia seguinte a menores

Secretária de Saúde reverteu decisão da FDA que permitiria a venda do contraceptivo de emergência sem receita médica para menores de 17 anos

Por Da Redação 8 dez 2011, 17h52

A FDA (Food and Drug Administration), agência que regula alimentos e medicamentos nos Estados Unidos, recusou-se, nesta quarta-feira, a conceder a uma empresa farmacêutica o direito de vender sem autorização a pílula do dia seguinte a menores de 17 anos. A receita médica “continuará sendo necessária para jovens menores de 17 anos”, declarou, em um comunicado, a chefe da FDA, Margaret Hamburg.

Hamburg enviou uma carta aos jornalistas explicando que, embora apoie a tentativa de tornar a pílula do dia seguinte mais acessível às jovens maiores de 12 anos, a secretária de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, Kathleen Sebelius, tinha se mostrado em desacordo com a decisão da FDA e invocou sua autoridade para bloquear a iniciativa. O presidente americano, Barack Obama, apoiou a secretária.

Atualmente, a pílula do dia seguinte, que pode reduzir as chances de gravidez se ingerida até 72 horas após a relação sexual sem proteção, está disponível sem receita para todas as mulheres maiores de 17 anos.

A empresa farmacêutica Teval, que fabrica a pílula Plan B, solicitou à FDA que mudasse as regras para que o produto fosse facilmente acessível a mulheres de todas as idades. O pedido despertou a ira de grupos antiaborto americanos.

No Brasil, contraceptivos de emergência são vendidos mediante prescrição médica. Apesar disso, é possível comprar a pílula do dia seguinte sem receita nas farmácias. Com nome genérico de levonorgestrel, o Plan B foi aprovado nos Estados Unidos em 1999 e chegou ao Brasil no mesmo ano.

Continua após a publicidade

Perguntas e respostas sobre a pílula do dia seguinte

Rogério Bonassi Machado – presidente da comissão de anticoncepção da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia

Como funciona a pílula do dia seguinte? A pílula do dia seguinte pode reduzir as chances de gravidez se ingerida até 72 horas. Normalmente, é utilizada em três situações: falta de proteção durante a relação sexual, acidente ou violência sexual. Se a pílula for utilizada antes da ovulação, haverá um atraso da ovulação. Se for utilizada no dia da ovulação, ela vai atrapalhar a segunda fase do ciclo, evitando a fecundação.

Ela pode ser considerada abortiva? Do ponto de vista médico, o contraceptivo de emergência não é considerado um medicamento abortivo. Ele interrompe o processo de fecundação.

A partir de que idade é indicada? Não há nenhum tipo de contraindicação específica do uso de contracepção de emergência por adolescentes. Nenhuma pesquisa comprovou que ele seja menos eficaz ou que faça algum efeito diferente do que faz em mulheres adultas.Portanto, ele pode ser utilizado a partir do início da atividade sexual.

Quais são os efeitos colaterais? Entre os efeitos colaterais mais comuns da pílula do dia seguinte estão dor de cabeça, inchaço, náuseas e vômitos.

Continua após a publicidade
Publicidade