Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

EUA: infectada pelo ebola viajou de avião um dia antes de passar mal

Enfermeira foi de Cleveland para Dallas nesta segunda-feira. Passageiros do voo estão sendo contatados pelas autoridades sanitárias

A segunda pessoa infectada pelo ebola do Hospital Presbiteriano de Dallas, no Texas, viajou de avião um dia antes de começar a apresentar os sintomas da doença. Segundo autoridades sanitárias dos Estados Unidos, a enfermeira de 29 anos, identificada como Amber Vinson, pegou um voo da Frontier Airlines de Cleveland para Dallas nesta segunda-feira. A informação foi confirmada pela companhia aérea.

Leia também:

EUA admitem que país poderá ter novos casos de ebola

O Centro para Controle e Prevenção de Doenças do país (CDC, sigla em inglês) informou que já está entrando em contato com os 132 passageiros que estavam no mesmo avião que a enfermeira. No entanto, membros da tripulação do voo disseram que Amber não apresentou qualquer sinal do ebola durante a viagem – o vírus só é transmitido quando os sintomas aparecem.

“Ela não deveria ter viajado em um avião comercial”, disse o diretor dos CDC, Thomas Frieden, que considera “muito baixo” o risco de algum passageiro do voo ter sido contaminado. “Estamos colocando margens extras de segurança e é por isso que estamos contatando quem estava naquele voo.”

Leia também:

Origem, transmissão e como o ebola age no corpo

Ebola: como o vírus ‘burro’ se tornou uma epidemia

Na tarde desta quarta-feira, a secretária de serviços humanos e de saúde do Texas, Sylvia Burwell, disse que Amber será transferida de Dallas para o Hospital Universitário Emory, em Atlanta. O hospital é uma das quatro unidades de saúde dos Estados Unidos que possui alas de isolamento especiais para o tratamento do ebola, reduzindo o risco de contágio por parte de profissionais de saúde. O centro já tratou de três outros pacientes com a doença.

Casos – Amber Vinson é a segunda pessoa infectada pelo ebola nos Estados Unidos. A primeira foi Nina Pham, de 25 anos. Ambas são enfermeiras do Hospital Presbiteriano de Dallas, no Texas, e ajudaram no tratamento do liberiano Thomas Eric Duncan. Ele contraiu o vírus na África, mas se sentiu mal somente ao chegar no Texas, para onde viajou com o objetivo de visitar familiares. Duncan morreu na semana passada.

(Com Estadão Conteúdo e Reuters)