Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Estudo relaciona asma e alergias ao TDAH

Pesquisadores descobriram que meninos diagnosticados com déficit de atenção são mais propensos a ter histórico de asma ou alergias do que aqueles que não têm o transtorno

Crianças que têm histórico de asma ou de algum tipo de alergia podem ter um risco maior de apresentar o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) do que aquelas que nunca sofreram com esses problemas. É o que sugere uma pesquisa publicada neste mês no periódico Annals of Allergy, Asthma and Immunology.

O estudo, desenvolvido por especialistas da Universidade de Groningen, Holanda, e da Universidade de Boston, nos Estados Unidos, foi feito com base nos dados de 884 meninos com TDAH e no de outros 3.536 rapazes sem o transtorno. Segundo a pesquisa, a prevalência de asma ou de algum tipo de alergia – especialmente alergia a leite – foi maior entre os meninos diagnosticados com TDAH do que entre aqueles que não tinham o transtorno.

Leia também:

Teste genético pode prever se asma na infância pode persistir na vida adulta

Crianças estressadas têm mais alergias

Especialista tira dúvidas sobre alergia infantil

De acordo com os autores do estudo, é possível que algumas medicações usadas para tratar asma e alergias aumentem o risco de TDAH em crianças – fato que, se confirmado, pode ajudar a explicar os resultados da pesquisa. “Além disso, o TDAH é um transtorno mais comum entre meninos do que meninas. Da mesma forma, a asma é mais prevalente entre o sexo masculino”, diz Eelko Hak, pesquisador da Universidade de Groningen e coordenador do estudo.

No entanto, os pesquisadores ressaltam que mais estudos são necessários para confirmar esses achados e para explicar de que forma a asma e as alergias agem no organismo, elevando o risco de TDAH. Portanto, segundo os autores, nenhuma criança com asma ou alergia deve deixar de fazer uso de seus remédios com o objetivo de evitar o déficit de atenção.