Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Estudo identifica os principais hábitos na adolescência que provocam hipertensão na vida adulta

Pílulas anticoncepcionais, álcool e ingestão exagerada de sal antes dos 17 anos pode aumentar o risco de uma pessoa ter doença isquêmica do coração e AVC

O estilo de vida de um adolescente pode determinar um maior risco de doenças cardiovasculares na vida adulta. Uma pesquisa australiana concluiu que fazer uso de pílulas anticoncepcionais, consumir bebida alcoólica, ingerir muito sal e ter um elevado índice de massa corporal (calcule aqui o seu IMC) na juventude são os principais causadores de hipertensão entre indivíduos mais velhos. O estudo foi publicado nesta quarta-feira no periódico European Journal of Preventive Cardiology.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Oral contraceptive use in girls and alcohol consumption in boys are associated with increased blood pressure in late adolescence

Onde foi divulgada: periódico European Journal of Preventive Cardiology

Quem fez: Chi Le-Ha, Lawrence Beilin, Sally Burrows, Rae-Chi Huang, Wendy Oddy, Beth Hands e Trevor Mori

Instituição: Universidade da Austrália Ocidental, Austrália

Dados de amostragem: 1.771 pessoas desde o nascimento até os 17 anos

Resultado: Consumir bebida alcoólica e muito sal, tomar pílula, ter sobrepeso e ser sedentário são os principais hábitos entre jovens que podem causar hipertensão na vida adulta e outras doenças cardiovasculares

Uma equipe da Universidade da Austrália Ocidental acompanhou 1.771 pessoas desde o nascimento até os 17 anos de idade. Ao longo desse período e por diversas vezes, os participantes foram questionados sobre prática de atividade física, consumo de álcool, tabagismo, uso de medicamentos – inclusive de contraceptivos orais – e hábitos alimentares. A pressão arterial, o peso e a altura desses indivíduos também foram calculados. Ao final da pesquisa, 24% dos participantes eram hipertensos ou pré-hipertensos e 34% tinham sobrepeso.

Entre o sexo masculino, uma maior pressão arterial aos 17 anos foi associada principalmente a um maior IMC, à alta ingestão de sal e ao consumo de álcool quando mais jovens. Além disso, aqueles que praticavam atividade física regularmente foram os que apresentaram os melhores resultados de pressão arterial. Já em relação ao sexo feminino, pílulas anticoncepcionais tomadas na adolescência, além de também um aumento do IMC nessa fase, foram os principais responsáveis pelo aumento da pressão arterial na vida adulta.

De acordo com os pesquisadores, a maior pressão arterial provocada por tais hábitos afetou especialmente o risco de doença isquêmica do coração e de acidente vascular cerebral (AVC) desses indivíduos. “Os adolescentes precisam estar cientes de que o estilo de vida adotado na juventude, especialmente em relação à alimentação, ao alcoolismo e ao sedentarismo, podem ter consequências adversas na vida adulta, já que seus efeitos são cumulativos. Os profissionais de saúde devem alertar essas consequências aos jovens e monitorar regularmente a pressão arterial deles”, diz Chi Le-Há, pesquisador que coordenou o trabalho.

*O conteúdo destes vídeos é um serviço de informação e não pode substituir uma consulta médica. Em caso de problemas de saúde, procure um médico.