Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Estudo do HC mostra eficácia da acupuntura

Segundo pesquisa conduzida pelo HC, a técnica chinesa, quando associada ao tratamento convencional da lombalgia, foi eficaz em reduzir as dores na lombar

Por Da Redação 19 mar 2012, 18h53

Um estudo realizado pelo Hospital das Clínicas (HC) de São Paulo demonstra que a acupuntura auxilia no tratamento de dores na região lombar, segundo informações da Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo. A técnica chinesa, quando associada ao tratamento convencional de lombalgia (dores nas costas), acelera o alívio em curto prazo. O estudo foi feito pelo Centro de Acupuntura do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do HC.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Estudo da eficácia da acupuntura na lombalgia inespecífica crônica

Quem fez: João Amadera, fisiatra intervencionista do Hospital das Clínicas

Instituição: Hospital das Clínicas de São Paulo

Dados de amostragem: 60 adultos com idades entre 18 e 60 anos

Continua após a publicidade

Resultado: O grupo de pacientes que associou o tratamento convencional à acupuntura teve uma melhora média de três pontos na Escala Visual Analógica. Já o grupo que recebeu o tratamento tradicional, mas acupuntura placebo, teve uma melhora média de apenas um ponto.

Segundo o fisiatra intervencionista João Amadera, a pesquisa foi realizada em 60 pacientes, sendo que 28 deles receberam apenas o tratamento convencional e 32 o convencional associado à acupuntura. A terapia convencional é feita com uso de analgésicos, exercícios e recomendação de posturas corretas para atividades diárias. No entanto, ela nem sempre é eficaz para o alívio da dor lombar crônica.

Os pesquisadores descobriram, então, que, quando essas medidas são insuficientes, associar exercícios terapêuticos e acupuntura é decisivo na melhora. “Após o término das seis sessões de acupuntura, verificamos que o grupo que teve o tratamento convencional associado à acupuntura apresentou uma queda significativa na escala de dor”, diz Amadera.

Pesquisa – Os pacientes que fizeram apenas o tratamento convencional também foram tratados com um tipo de acupuntura placebo. No processo, eletrodos eram colocados no corpo do paciente, mas a corrente elétrica era interrompida.

No final do estudo foi usada a Escala Visual Analógica para avaliar a melhora na sensação de dor. Essa escala consiste em uma linha de 10 centímetros, marcada numericamente de 0 a 10 – sendo zero o menor índice de dor, e 10 a pior dor possível. O grupo de voluntários que fez acupuntura teve uma melhora média de três pontos nessa escala. Já o grupo que recebeu o tratamento tradicional aliado à acupuntura placebo teve uma melhora média de apenas um ponto.

Segundo João Amadera, o motivo da melhora é que, quando são colocadas as agulhas no corpo do paciente, “são liberadas substâncias neurotransmissoras e analgésicas que diminuem a dor.”

(Com Agência Estado)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês