Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Estudo da Fiocruz aponta efetividade de 42,4% em 1ª dose da AstraZeneca

Primeira dose protege contra casos sintomáticos de Covid-19 após 21 dias, mas imunização completa depende da segunda dose

Por Paula Felix 23 nov 2021, 20h19

A primeira dose da vacina da AstraZeneca, desenvolvida em parceria com a Universidade de Oxford, tem efetividade de 42,4% para proteger contra casos sintomáticos da Covid-19 após 21 dias da aplicação. A proteção varia de acordo com a faixa etária de quem recebeu o imunizante e com o intervalo. O achado é de um estudo da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que produz a vacina no Brasil, realizado no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro. A pesquisa ainda não foi revisada pelos pares.

Os pesquisadores analisaram dados do período de 17 de janeiro a 14 de setembro deste ano, quando predominavam as variantes Delta e Gama, e constataram que a proteção é maior nos mais jovens. Segundo o estudo, a efetividade foi de 57,5% na população com menos de 35 anos e de 34,8% em pessoas com mais de 35 anos.

“Outro dado é o de que a proteção aumenta ao longo do tempo, a partir de 40 dias. A efetividade chega a 58,9%, considerando todas as faixas etárias acima de 18 anos, entre os dias 42 e 55 após a primeira dose e passa a cair depois disso”, informa comunicado da instituição.

O grupo reforça a importância de tomar a segunda dose, completando o esquema vacinal, para garantir a proteção contra a doença.

Continua após a publicidade

Publicidade