Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Estudo da Anvisa mede higiene das mãos em hospitais brasileiros

Relatório da Anvisa apontou que sistema de controle para a limpeza adequada das mãos ainda é inexistente na maioria das instituições

Segundo dados divulgados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nesta sexta-feira, em 66% dos hospitais não há um profissional que controla a higienização das mãos na instituição. Além disso, 68% dos estabelecimentos não contam com orçamento específico para capacitação e treinamento dos profissionais em relação a esse tipo de higiene.

Outro problema apontado pela Agência é a ausência de dados sobre a adesão à higienização das mãos, em 77% dos estabelecimentos. Em nota publicada no site da Anvisa, Magda Costa, gerente de Vigilância e Monitoramento em Serviços de Saúde do órgão, afirma que “é importante que o profissional perceba que suas atitudes em relação à higienização das mãos estão sendo monitoradas para que, assim, sintam-se mais estimulados a aperfeiçoar a higiene.”

Essas informações estão presentes no Relatório Sobre Autoavaliação para Higiene das Mãos, que contém os resultados brasileiros para a ferramenta elaborada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Essa avaliação é inédita e buscou analisar a rotina de segurança sanitária de 901 estabelecimentos de saúde cadastrados na Anvisa e também dos profissionais que neles trabalham. As instituições foram recrutadas para responder a um questionário que esteve disponível no site da Anvisa entre 4 de maio e 31 de dezembro de 2011.

A pesquisa ainda mostrou que 70% dos estabelecimentos de assistência à saúde do Brasil têm orçamento exclusivo para a aquisição de produtos destinados à higienização das mãos. Além disso, 75% dos hospitais possuem um sistema que realiza avaliações regulares sobre a disponibilidade de álcool gel, sabonetes, toalhas descartáveis e outros materiais para esses fins.

Em relação ao álcool gel, 53% das unidades analisadas afirmaram que o produto encontra-se sempre disponível em grande quantidade no estabelecimento, e que há fornecimento regular em cada ponto de assistência. O relatório também recolheu dados sobre os esforços dos estabelecimentos para educar as pessoas em relação à importância da higiene das mãos. Ao todo, 70% das instituições têm cartazes nas paredes com informações sobre a prática de lavar as mãos.

O relatório também mostrou que 99% dos estabelecimentos contam com água limpa, 93% com sabonetes em todas as pias e 92% com toalhas descartáveis em todos os lavatórios. Além disso, 67% hospitais possuem um lavatório para cada dez leitos e um lavatório para cada unidade de terapia intensiva (UTI).