Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Esquizofrenia poderá ser tratada com menos remédios

De acordo com novo estudo, aumentar as sessões de terapia, proporcionar apoio familiar e diminuir a dosagem de remédios antipsicóticos pode ser uma conduta eficaz durante os primeiros estágios da doença

Um novo estudo, publicado nesta terça-feira, 20, na revista científica American Journal of Psychiatry, revelou um tipo de tratamento para o início da esquizofrenia que se mostrou bastante eficaz. A pesquisa indicou que o aumento de sessões de terapia, em conjunto com o apoio familiar e a redução do uso de medicamentos, pode ser uma fórmula de sucesso.

A pesquisa foi realizada com 404 pacientes após o primeiro episódio de psicose, geralmente diagnosticados no final da adolescência e início da juventude. Metade deles foi submetida à nova combinação de sessões de terapia, suporte da família e uma dosagem de medicamentos cerca de 20% a 50% menor do que a outra metade dos pacientes, que foi tratada apenas com os remédios antipsicóticos — o procedimento padrão.

Após dois anos de tratamento, aqueles que foram submetidos ao tratamento combinado apresentaram os sintomas da doença de maneira menos intensa, em comparação com o grupo que usou exclusivamente remédios. Os autores do estudo ressaltaram que, quanto mais cedo for iniciada a terapia combinada, melhores serão os resultados.

O principal tratamento para a doença atualmente é a forte dosagem de medicamentos antipsicóticos. Contudo, embora esses medicamentos tenham o poder de bloquear as alucinações e delírios, eles também podem causam efeitos colaterais como ganho de peso, sonolência, tremores e distúrbios emocionais. Alguns estudos mostram que 3/4 dos pacientes interrompem a medicação em um intervalo de um ano e meio.

Leia também:

Uma noite sem dormir causa sintomas de esquizofrenia, diz estudo

Estudo identifica 13 alterações genéticas envolvidas na esquizofrenia