Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Entenda como um banho quente pode melhorar sintomas da depressão

Os pesquisadores afirmam que o aumento da temperatura corporal pode reajustar o ciclo biológico

Por Da Redação Atualizado em 8 nov 2018, 17h38 - Publicado em 8 nov 2018, 15h55

Tomar banho quente diariamente pode ser um recurso alternativo para o tratamento da depressão, melhor até do que a prática de exercícios físicos, indica estudo realizado pela Universidade de Freiburg, na Alemanha. Segundo eles, apenas oito semanas de tratamento foram o bastante para melhorar significativamente o nível de humor dos participantes. A explicação para o fenômeno está relacionado ao ritmo circadiano, que são as flutuações diárias de comportamento e bioquímica que afetam nossos órgãos, incluindo o cérebro.

Os pesquisadores acreditam que o aumento da temperatura corporal pode reajustar o ciclo biológico em pessoas com depressão e aliviar sintomas como insôniaDe acordo com The Guardian, a temperatura corporal normalmente é mais elevada durante o dia, caindo durante o período noturno. Essa queda é fundamental para preparar o corpo para o descanso, pois promove a liberação da melatonina, conhecido como hormônio do sono. Estudos anteriores já haviam apontado que o banho morno (de até 18°C) exerce efeito positivo na rotina noturna, dilatando os vasos sanguíneos da pele, o que ajuda o corpo a eliminar o excesso de calor. 

Segundo da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2015 cerca de 11,5 milhões de brasileiros sofriam com a doença cujo tratamento inclui terapia e antidepressivos. Já a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) indica que reduzir o consumo de bebida alcoólica e a pratica de atividade física “podem melhorar consideravelmente os sintomas”. 

O estudo

Para chegar a este resultado, a equipe recrutou 45 pessoas diagnosticadas com depressão, dividindo-as em dois grupos: no primeiro, os participantes foram orientados a mergulhar diariamente em água quente (40°C), permanecendo nela por 30 minutos. O segundo grupo foi instruído a fazer 40 a 45 minutos de exercícios aeróbicos duas vezes por semana. Ao final da oitava semana, os pesquisadores mediram os índices de humor dos participantes. 

Continua após a publicidade

Os resultados mostraram que os indivíduos no grupo do banho apresentaram um média de seis pontos a mais se comparado ao valor aferido no início do experimento. Já os praticantes de atividades físicas obtiveram apenas três ponto acima do índice inicial. A partir da descoberta, os cientistas perceberam que os banhos podem ser mais eficazes como impulsionadores do humor do que a pratica esportiva.

Apesar dos achados, a equipe alerta que o estudo foi de pequena escala e pode não englobar todas as características dos pacientes com depressão, sendo necessário realizar mais pesquisas para determinar se esse efeito pode ser estendido a outras populações. Ainda assim, um banho quente nunca fez mal a ninguém, portanto, aproveite.

Exposição ao sol

Segundo a revista Health, uma revisão de estudos publicada em 2016 revelou que a fototerapia, que já era conhecida como tratamento para a depressão sazonal — transtorno que se manifesta em decorrência das estações do ano, especialmente no inverno —, pode ser uma opção também para outros tipos de depressão.

Os pesquisadores conseguiram determinar que a exposição matinal à luz do sol ajuda a fortalecer os ritmos circadianos, aliviando os sintomas da doença. Apesar disso, eles ressaltam que para funcionar a terapia deve ser feita durante duas a cinco semanas e como terapia única (monoterapia).

Continua após a publicidade

Publicidade