Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Doria autoriza reabertura com restrições de shoppings da cidade de SP

Não há informações específicas sobre quais os pré-requisitos e quando será a retomada; esses detalhes devem ser estabelecidos pelo prefeito Bruno Covas

Por Da Redação Atualizado em 27 Maio 2020, 19h23 - Publicado em 27 Maio 2020, 14h28

O governador do estado de São Paulo, João Doria, autorizou a reabertura “com restrições” de shoppings da cidade de São Paulo e de outras dez regiões paulistas. A medida entra no pacote de flexibilização da quarentena que entra em vigor a partir da próxima segunda, 1º de junho. A decisão foi divulgada nesta quarta-feira, 27.

Ainda não há, no entanto, informações específicas sobre quais os pré-requisitos e dias exatos em que ocorrerá a reabertura parcial. Essas orientações ficarão sob responsabilidade dos prefeitos de onde a mudança foi liberada. Bruno Covas, prefeito da cidade de São Paulo, afirmou que começará a receber propostas de abertura dos centros de compras por entidades do setor a partir do dia 1º.

ASSINE VEJA

Coronavírus: ninguém está imune Como a pandemia afeta crianças e adolescentes, a delação que ameaça Witzel e mais. Leia na edição da semana
Clique e Assine

As únicas orientações existentes apontam a necessidade de monitorar o número de pessoas circulando nos centros de compras e exibir diversos informativos sobre a importância da seguir protocolos de higiene. A flexibilização não vale para cidades da Grande São Paulo.

Os municípios de Marília, Sorocaba, Araraquara, Ribeirão Preto e Campinas estão entre os que também poderão reabrir os shoppings.

  • Outras atividades a serem liberadas com restrições nessas localidades são: concessionárias, escritóriosatividades imobiliárias e lojas de rua.

    Seguem fechados salões de cabeleireiros, academias, teatros, cinemas, espaços públicos, bares, restaurantes e endereços similares.

    LEIA TAMBÉM: É possível pegar o coronavírus mais de uma vez?

    Caso indicadores de saúde sofram alterações negativas, todos os serviços liberados poderão ser fechados novamente para conter o avanço da doença.

    Continua após a publicidade
    Publicidade