Clique e assine a partir de 8,90/mês

Doria anuncia que duas regiões de SP terão endurecimento da quarentena

Devido ao aumento da ocupação do sistema de saúde, as regiões de Marília e Registro, no interior do estado, terão que endurecer a quarentena

Por Da redação - Atualizado em 19 jun 2020, 18h35 - Publicado em 19 jun 2020, 14h01

Nesta sexta-feira, 19, o governador do estado de São Paulo João Doria anunciou a reclassificação da fase de quarentena em duas regiões do interior do estado que apresentaram piora nos indicadores. A reclassificação extraordinária das regiões de Marília e Registro, já que o período atual desta quarentena vai até o dia 28 de junho, aconteceu porque houve um aumento significativo da ocupação do sistema de saúde nestas regiões na última semana.

De acordo com Carlos Carvalho, coordenador do centro de contingencia Covid-19 no estado de São Paulo, a região de Marília apresentou um aumento de 51% nas internações por Covid-19. Em Registro, o aumento foi de 67% . A tendência “aponta para a possibilidade de um excesso para o sistema de saúde, por isso essas duas regiões, neste momento, estão classificadas no vermelho e retrocederam em relação à situação do período anterior”, disse Carvalho durante coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira, 19.

Anteriormente, essas regiões estavam na fase laranja de classificação, que permite o início da flexibilização de algumas atividades econômicas, com limitações. A maior parte do estado está nessa segunda fase de quarentena, exceto por Barretos, Ribeirão Preto, Presidente Prudente e, agora Marília e Registro, que estão na fase vermelha, na qual apenas atividades essenciais podem funcionar.

ASSINE VEJA

Acharam o Queiroz. E perto demais Leia nesta edição: como a prisão do ex-policial pode afetar o destino do governo Bolsonaro e, na cobertura sobre Covid-19, a estabilização do número de mortes no Brasil
Clique e Assine

Segundo Marco Vinholi, secretário de Desenvolvimento Regional do estado de São Paulo, as regiões de Presidente Prudente, Ribeirão Preto e Barretos já apresentam melhora nos indicadores referente à semana passada, quando foi feito o endurecimento da quarentena nestas regiões. No entanto, esses indicadores precisam permanecer assim ou melhorar até a próxima sexta-feira, 26, para que esses locais possam avançar de fase.

“O plano tem dado resultado quando endurece. A gente pode verificar as regiões de Presidente Prudente, Ribeirão Preto e Barretos com uma melhora em relação à semana passada. Elas apresentam uma tendência de melhora, que pode se consolidar ou não. E aqueles municípios que f. azem uma flexibilização maior do que o plano indica têm indicadores piorando, o que aconteceu em Registro e Marília”, disse Vinholi.

LEIA TAMBÉM: O beabá dos testes para coronavírus 

Continua após a publicidade

As cidades de Campinas e Sorocaba também foram apresentadas como zona de perigo, devido ao aumento da taxa de ocupação. Por isso, o centro de contingência irá emitir uma nota técnica recomendando que estes municípios endureçam a quarentena, embora estejam inseridos em uma região com permissão de flexibilização da quarentena. Outros municípios próximos a essas cidades que passam pela mesma situação, como Valinhos, já se adiantaram e decidiram endurecer as medidas de isolamento.

“Estamos valiando diariamente as regiões e municípios para apontar os municípios que estejam entrando em uma zona de perigo. Vamos emitir notas técnicas orientando ou sugerindo que os prefeitos desses locais sejam mais restritivos”, diz Vinholi.

O Plano São Paulo avalia cinco indicadores: taxa de ocupação de leitos de UTI, leitos de UTI para 100 mil habitantes, número de casos, internações e mortes. O estado foi separado pelos departamentos regionais de saúde e um banco de dados é alimentado diariamente, Na última quarta-feira, 17, o governo anunciou que as mudanças de fase das regiões serão anunciadas sempre às sextas-feiras.

Recorde de cacos e segundo maior número de óbitos em 24 horas

O estado de São Paulo tem 211.658 casos e 12.232 óbitos confirmados, o que corresponde a um aumento de 19.030 casos e 386 óbitos nas últimas 24 horas. Segundo José Henrique Germann, secretário de estado da Saúde, o grande aumento no número de casos aconteceu devido os problemas para inserir esses casos no sistema.

A taxa e ocupação de UTIs para Covid-19 no estado é de 66,5% e na Grande São Paulo, de 70,5%. Atualmente, 12.977 estão internados com diagnóstico confirmado ou suspeito de Covid-19, sendo 4.996 em UTI e 7.981 em enfermaria.

Nesta sexta-feira também foi anunciada uma nova fase de testagem, na qual 233.000 exames serão realizados em funcionários públicos de serviços essenciais e na população vulnerável.

Continua após a publicidade
Publicidade