Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Doria anuncia mudança no currículo do ensino médio a partir de 2021

Alteração terá início em 2021; alunos da primeira série do ensino médio poderão escolher até duas áreas de conhecimento para aprofundar estudos

Por Da redação Atualizado em 3 ago 2020, 20h26 - Publicado em 3 ago 2020, 14h17

Em meio à pandemia de coronavírus, o governador do estado de São Paulo João Doria anunciou nesta segunda-feira, 3, a alteração do currículo do ensino médio a partir de 2021. O estado é o primeiro do país a elaborar a mudança curricular determinada pela lei do novo ensino médio, aprovada em 2017.

“O novo currículo do ensino médio de São Paulo terá 12 opções de cursos, o que permitirá aos alunos a escolha da disciplina ou das disciplinas com as quais eles mais se identificam. O objetivo é criar uma escola que dialogue com a realidade atual da juventude, que se adapte às necessidades dos estudantes e os prepare para viver em sociedade e enfrentar os desafios de um mercado de trabalho dinâmico”, disse Doria em coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira.

O processo de construção do currículo foi iniciado em 2019 e ouviu 140.000 estudantes e 18.000 professores, de acordo com o governo. A previsão é de que seja implementado progressivamente aos alunos do ensino médio, começando pela 1ª série em 2021. Em 2022, para os estudantes da 2º série, e consequentemente, para a 3ª série do ensino médio em 2023.

O novo currículo paulista está estruturado em 3.150 horas, distribuídas em um período de três anos. Do montante total da carga horária, 1.800 horas são destinadas à formação básica e o restante, de 1.350 horas são referentes aos itinerários formativos. O estudante poderá escolher até duas áreas de conhecimento da formação geral para aprofundar seus estudos, ou ainda, a formação técnica e profissional.

LEIA TAMBÉM: Pequenos confinados: como o isolamento impacta a saúde das crianças

Pandemia de coronavírus em São Paulo

Pela segunda semana seguida, houve redução no número de mortes e internações por Covid-19 no estado. De acordo com o governo, os óbitos caíram 8% na última semana (de 20 de julho a 01 de agosto) em relação à semana anterior (de 19 a 25 de julho). No mesmo período, a queda no número de internações no estado foi de 2,5%. No entanto, a queda ainda está dentro do intervalo percentual considerado como um quadro de estabilidade.

A taxa de letalidade também continua a cair no estado e chegou a 4,2% nesta segunda-feira, 3. Para fator de comparação, em abril, a taxa de letalidade no estado era de 8%. A taxa de ocupação dos leitos de UTI está em 61,6% no estado e em 59,9% na Grande São Paulo.

Apenas três dos 645 municípios do estado de São Paulo ainda não têm casos notificados de coronavírus. São eles Arco-Íris e Florínea, ambas na região de Marília, e Ribeirão Corrente, na região de Franca. Os casos confirmados de coronavírus no estado de São Paulo chegaram a 560.218 nesta segunda-feira, 3, e o de óbitos a 23.365.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade