Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Doçuras ou Travessuras: como se divertir com segurança neste Halloween

Medidas de proteção sanitária, distanciamento social, uso de máscara e de álcool em gel para higienização das mãos são essenciais para brincar tranquilo

Por Simone Blanes 28 out 2021, 12h40

O Halloween – ou Dia das Bruxas – é uma época de diversão, em que adultos e crianças dedicam seu dia às travessuras ligadas ao terror, seja assistindo filmes, usando fantasias assustadoras ou pedindo doces nas portas das casas. Celebração tradicional dos Estados Unidos, também tem muitos fãs no Brasil. A diferença é que lá geralmente organizam-se grandes festas para comemorar a data, enquanto que no nosso país, a diversão fica mais restrita às fantasias e pedidos de doces. Também temos a vantagem de a vacinação contra a Covid-19 estar mais avançada por aqui. Mesmo assim, é preciso tomar alguns cuidados para evitar a disseminação do novo coronavírus que causa a doença. Como se manter seguro e aproveitar o Dia das Bruxas no domingo, 31?

De acordo com as diretrizes dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos Estados Unidos, basicamente temos que manter as medidas sanitárias e de distanciamento social. E o mais importante, tomar a vacina contra a Covid-19, caso seja elegível.

No caso das crianças, o ideal é ter a supervisão de um adulto na manipulação dos doces, uso de máscara e distanciamento social. Em relação às guloseimas, sempre que receber de alguém ou passar de mão e mão, é necessária a utilização do álcool em gel 70% para sua higienização. E antes e depois de manusear qualquer doce para comer, é bom lavar bem as mãos com água e sabão. Manter o distanciamento de pelo menos 1 metro das pessoas que vão pedir ou que atendem a campainha também é muito importante para dificultar a transmissão do vírus.

Na escolha da fantasia, priorize uma que venha com máscara. Se puder manter a máscara apropriada de proteção contra o vírus por baixo, melhor ainda, desde que não atrapalhe a respiração. Caso a fantasia não tenha máscara, o uso da proteção facial como medida sanitária deve ser obrigatório. Roupas descartáveis ​​ou laváveis também diminuem o risco de contaminação.

Continua após a publicidade

Publicidade