Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Dieta: por que o consumo das calóricas nozes evita o ganho de peso?

As nozes são ricas em fibras e gorduras insaturadas que estimulam a saciedade

Por Redação
Atualizado em 25 set 2019, 18h51 - Publicado em 24 set 2019, 18h41

Nos últimos tempos você já deve ter ouvido falar sobre os benefícios de adicionar uma porção de nozes à alimentação diária, não é verdade? Estudos recentes, por exemplo, afirmam que o alimento ajuda a reduzir o risco de morte prematura, de sofrer um ataque cardíaco ou desenvolver diabetes e câncer, além de melhorar o desempenho sexual masculino. Agora, novo estudo aponta outro benefício para as nozes: evitar o ganho de peso.

A pesquisa, publicada na revista BMJ Nutrition, Prevention & Health, mostra que trocar os lanches pouco saudáveis por um punhado de nozes (14 gramas) pode impedir que uma pessoa ganhe até 1 quilo por ano. “Incorporar nozes como parte de um padrão alimentar saudável, substituindo alimentos menos saudáveis, pode ajudar a mitigar o ganho gradual de peso comum durante a vida adulta e contribuir de forma benéfica para a prevenção da obesidade”, explicaram os pesquisadores no estudo.

Por que reduz risco?

Segundo a equipe da Escola de Saúde Pública de Harvard, nos Estados Unidos, as nozes atuam em diversos mecanismos que promovem a saciedade e a perda de gordura. Os cientistas explicam que mastigar nozes exige muito esforço e, portanto, as pessoas se sentem menos propensas a continuar comendo. Além disso, por ser um alimento rico em fibras, ele demora a ser digerido, o que atrasa o esvaziamento do estômago. Isso suprime a fome e faz a pessoa se sentir saciada por mais tempo.

A presença das fibras também promove a eliminação de gordura: as fibras se ligam a gorduras no intestino e as eliminam junto com as fezes. Outro benefício da inserção de nozes na alimentação está relacionado ao fato de que elas são ricas em gorduras insaturadas, que ajudam a promover o gasto energético em repouso, impedindo o ganho de peso. 

O estudo

Para chegar a esta conclusão, os pesquisadores acompanharam 289.915 homens e mulheres entre 24 a 75 anos ao longo de vinte anos. A cada quatro anos a equipe verificava a frequência com que os participantes comiam nozes, bem como em que quantidade, e de dois em dois anos atualizam o questionário sobre a prática de atividade física e quanto de calorias, em média, os voluntários queimavam durante o exercício.

Ao final do acompanhamento, os cientistas descobriram que evitar alimentos pouco saudáveis pela ingestão de nozes reduz o risco de obesidade (15%) e do excesso de peso (23%). “Nossos resultados indicam que o aumento do consumo total de nozes ou qualquer tipo de noz, incluindo amendoim e castanhas, está associado a um ganho de peso menor a longo prazo”, concluíram os pesquisadores. 

Para a equipe, essa descoberta pode ajudar na manutenção de peso em indivíduos adultos que tendem a ganhar peso ao longo do tempo.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.